domingo, 28 de agosto de 2011

Moda africana em destaque

Roupas e acessórios vindos do continente estão cada vez mais presentes no mercado global. Conheça os projetos pioneiros de marcas como Vivienne Westwood, Edun e Made.


As etiquetas Made in China e Made in India já viraram uma constante nas lojas de fast fashion, mas você tem alguma peça Made in Kenya? Roupas e acessórios produzidos no continente africano ainda são raros na maioria dos closets e são rotulados, na maioria das vezes, como moda beneficente. Algumas marcas e estilistas, entretanto, estão mudando essa imagem. Muitas envolvem as comunidades locais na produção em vez de apenas reverterem parte da renda obtida em suas vendas para a população carente.
Apesar de não ter uma moda local tão desenvolvida quanto a de outros países nem contar com grandes nomes nas áreas de estilismo e design, a África vem atraindo marcas que desejam produzir peças diferenciadas. “As marcas pensam e trabalham globalmente, então é possível contar com parte da produção na África e com o desenvolvimento de estilo em Nova York, por exemplo, para que um produto realmente funcione em qualquer lugar e agregue valor”, explica Carolina Althaller, relações públicas do site de pesquisa de tendências WGSN.

De Londres para Nairóbi

 
Linha de bolsas Vivienne Westwood: etiqueta Made in Kenya.
Linha de bolsas Vivienne Westwood: etiqueta Made in Kenya.
“Isso não é caridade, é trabalho”. Esse é o mote da linha de bolsas Ethical Fashion Africa Project, desenvolvida pela estilista britânica Vivienne Westwood e produzida em parceria com o International Trade Centre. Os três modelos são feitos a mão em Nairóbi, capital e maior cidade do Quênia, por um grupo de mães solteiras, viúvas e portadoras de HIV, que  transformam materiais reciclados, como banners publicitários e tendas de safári, em legítimas bolsas Vivienne Westwood.
“O projeto tem como objetivo oferecer uma maneira sustentável de gerar um trabalho de qualidade que minimiza o impacto na natureza”, explica Laura McCuaig, assessora de imprensa de Westwood. Atualmente o projeto ajuda mais de sete mil mulheres que vivem em condições de extrema pobreza. “É emocionante trabalhar com as pessoas na África e nós realmente amamos o que eles têm feito”, explica Vivienne.
Os modelos das três bolsas já estão à venda nas lojas da estilista britânica e custam 99 libras.

Fonte : abril.com

Nenhum comentário: