sexta-feira, 19 de outubro de 2012

África regista progresso em termos de contenção de doenças infecciosas


Director regional da Organização Mundial da Saúde para África, Luís Gomes Sambo
 Luanda – O director regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para África, Luís Gomes Sambo, afirmou hoje, quinta-feira, em Luanda, que a África registrou progressos na luta contra as doenças infecciosas, como o VIH/Sida e tuberculose, permitindo a redução da mortalidade em crianças.
Segundo o diretor regional, que falava na abertura da segunda reunião do sub-comité de programas da OMS/Afro, houve redução da mortalidade infantil, ao contrário da materna, mas de uma forma geral houve uma melhoria visando atingir os objectivos do milénio. 
Luís Sambo defendeu que os Governos, os parceiros internacionais e os representantes da OMS devem trabalhar em simultâneo para acelerar os progressos registados neste domínio para melhorar os indicadores de saúde. 
Sublinhou também que a comunidade internacional deve criar oportunidades no sentido de rever a estratégia de financiamento para que haja mais investimento nos países africanos, a fim de combater e prevenir doenças, bem como melhorar a saúde das populações.
Disse, por outro lado, que a União Africana tem exercido um papel importante no domínio da saúde, na região, uma vez que existe problemas de preços e de qualidade, em toda a região, pelo que existe falsos medicamentos e nocivos que circulam em toda a região, razão pela qual é necessário trabalhar em conjunto a fim de se encontrar soluções.
Enalteceu, por outro lado, o crescimento económico que os países do continente vão alcançando, sabendo que existem iniciativas, e se devem criar oportunidades que visam aproveitar melhor os recursos da saúde, para se obter melhores eficiências em saúde.
Luís Gomes Sambo referiu que durante a preparação da segunda reunião do sub-comité regional vai-se analisar a problemática do VIH/Sida, rever a estratégia actual, à luz de novas investigações em termos de medicamentos, a saúde e os direitos humanos, o regulamento sanitário internacional e as reformas que decorrem na organização.
O evento visa preparar junto com o governo angolano a 62ª sessão, que anualmente tem albergado perto de 46 países membros da organização.
Participaram deste encontro Angola, Moçambique, Burundi, Quénia, Mali, Níger, Senegal, Zâmbia, Tchad, Uganda, Tanzânia, Suazilândia, São Tomé e Príncipe, entre outros países.

Fonte texto e foto : ANGOP

Nenhum comentário: