segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Primeiro casamento civil em um terreiro de candomblé

Por Vilhena Soares

O primeiro casamento civil de Salvador (BA) em um terreiro de Candomblé foi realizado no último sábado (29).  Apesar da constituição brasileira permitir esse tipo de celebração, desde 1988, a regularização dos terreiros ainda era um obstáculo para quem pretendia se casar na religião.
O juiz Alberto dos Santos, explica que após a regularização não existe impedimento para celebração oficial da união matrimonial no Candomblé. “Estando os terreiros regularizados com os estatutos discriminando quem são os celebrantes, os presidentes das solenidades, a Justiça aceita isso como representação no terreiro para que seja feito o casamento religioso com efeito civil”, explica .
A cerimônia aconteceu no bairro de Massaranduba, com vários preparativos usados tradicionalmente no Candomblé como a separação das folhas de pitangueira (que na cultura representam o caminho), incenso para limpar o ambiente e tapetes de folhas e pétalas para os noivos entrarem ao som do berimbau e atabaques.
Os noivos, a baiana Camila e o francês Máximo se conheceram pela internet, se apaixonaram e mesmo não sendo iniciados na religião afro-brasileira, resolveram se casar no candomblé. “É a religião que mais se aproxima da nossa ideia de energia, de vida, de tudo”, justifica Máximo Rangoni, empresário.

Site:  Correio Nagô

Um comentário:

Cintia Amorim disse...

Olá, boa tarde!!!
Seu blog é maravilhoso. Eu gostei muito de ler essa matéria e saber q as pessoas estão assumindo a religião mesmo ñ sendo iniciadas.
Bjs.

pretinhadacor.blogspot.com