quinta-feira, 14 de março de 2013

Ministra da Família Angolana e diretora da ONU - Mulheres debatem igualdade no gênero


Nova Iorque - A abordagem de questões relativas à igualdade no género em Angola dominou quarta-feira, em Nova Iorque, o encontro entre a ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, e a sub-secretária-geral das Nações Unidas e directora executiva da ONU - Mulheres, Michelle Bachelet.  
A governante angolana fez um relato dos progressos alcançados no domínio do empoderamento da mulher, principalmente das zonas rurais, bem como das dificuldades ainda enfrentadas, tendo solicitado o apoio da UN-Mulheres em matéria de formação de especialistas, assistência técnica, entre outros, para uma melhor implementação de mecanismos de protecção do género.  
Em resposta, Michelle Bachelet reconheceu os esforços do Executivo angolano para conferir dignidade às Mulheres e os avanços obtidos neste capítulo, apesar de o país ter saído recentemente de uma guerra de longa duração, tendo saudado a aprovação da lei contra a violência doméstica e prometido assistência. 
A ex-presidente do Chile (2006 - 2010) questionou a ministra sobre as acusações de agressões e violações de pessoas ao longo da fronteira entre Angola e a RD Congo, bem como acerca das quotas das mulheres nos órgãos de decisão do país, que, segundo ela, registaram uma redução após as eleições gerais de 31 de Agosto de 2012.  
Em relação à primeira questão, Filomena Delgado, que convidou a sua interlocutora a visitar Angola, afirmou que uma missão conjunta integrada por representantes do Governo angolano, da ONU e outros parceiros visitou a fronteira e constatou que muitas das acusações não correspondiam à verdade.  
Disse que o Executivo de Angola, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e a Agência norte-americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) estão cooperando no domínio da formação da polícia para melhor lidar com esta matéria, acrescentando que foram criados em unidades policiais do país gabinetes que tratam de questões de direitos humanos.  
Sobre a percentagem das mulheres no centro do poder, a ministra, que foi acompanhada pelo representante permanente de Angola junto das Nações Unidas, Embaixador Ismael Gaspar Martins, frisou ser preocupação do Executivo liderado, pelo Presidente José Eduardo dos Santos, apostar nas mulheres para cargos a vários níveis e respeitar o padrão internacional. 

Fonte: ANGOP

Nenhum comentário: