quarta-feira, 27 de março de 2013

Em nome de Deus : “Cupra-se a Minha Vontade”


Por Mônica Aguiar



Após tantos protestos ainda assim,  deparamos com a situação mantida pela intransigência de um homem, que em nome de Deus não cumpre com os mandamentos que ele mesmo defende .   

Entre o céu e terra quem tem a palavra final?

Quem a não ser a voz do povo que é a voz de Deus?

Entre os gritos,  vai ecoando aos quatro cantos do mundo,  o desabafo de um povo que sabe bem o que é o sofrimento causado pela tortura do preconceito, da discriminação e pelo racismo.

Representante duas vezes, mas não representa nesta pasta o povo que a criou.

Opositor das denominadas minorias que  somadas emerge a segunda maior população negra do mundo fora da África.  

Pastor você aqui não nos representa e não somos minorias.

Fazemos parte de um legado,  onde as mazelas da escravidão não foram curadas. E pode ter certeza, por responsabilidade de pessoas como você.

Sr Deputado, ainda esta preso na historia de um tempo desta terra sagrada denominada Ilha de Vera Cruz, Terra de Santa Cruz, Colônia do Brasil,  Agaves.
Esquece da nossa independência forjada com desenvoltura que fez e faz desta terra sagrada Republica Federativa do Brasil.

Mas os meios justificam os fins,  desde que este produza riquezas e poder para alguns.

Esta pasta que com certeza não é a sua,  quebra o silencio dos inocentes e pauta dentro das estruturas do Estado Democrático e de Direitos o combate as desigualdades, a qualquer forma de discriminações e preconceitos,  opondo inclusive contra os resquícios ainda existente de atos da ditadura.

Em nome de Deus, os papanases não tinham costume de matar os que os ofendiam, mas os fizeram escravos, os guaianás não comiam carne humana e os fizeram prisioneiros escravos.

Entre os mansos e bravos hoje somos uma só nação, temos os mesmos direitos somos cidadãs e cidadãos, o que nos divide são as linhas imaginarias. O que nos diferencia é nosso costumes,  nossa cultura e não existe uma cultura brasileira perfeitamente homogênea, e sim um mosaico com diferentes vertentes culturais. Esta sim é  uma das riquezas de nossa nação. 

O Senhor Deputado,  defende um “direito natural”, onde os seres humanos desta terra sagrada estão no centro de uma ordem social e jurídica justa, e  a lei divina tem prevalência sobre o direito laico
O Senhor é Deputado não imperador!

Entre a historias e os fatos que constituíram a Declaração Universal dos Direitos Humanos, o Sr. Pastor com certeza nunca esteve presente.

Deputado e Pastor,  esqueceu-se das boas novas de seu evangelho  sobre a vida em plenitude para toda a humanidade a partir de Jesus Cristo, “... para que todos tenham vida e a tenham em abundancia...”

Esquece que seus valores, conceitos não devem nem podem sobrepor os princípios, tratados e convenções já ratificadas pelo nosso Brasil.

A sua manutenção como Presidente da Comissão de Diretos Humanos, após tantas declarações e com este entendimento sobre a vida humana é uma afronta, um desrespeito e retrocesso histórico para povo brasileiro.  

Um comentário:

Chico Nascimento disse...

Monica retada de todo santo dia de cada Orixá que faz essa nação acordar, sinto-me totalmente representado por vc e vibro com o desejo e a possibilidade de tornarmos real a retirada desse impostor que em nada nos representa na Comissão de Direitos Humanos.