segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

30 milhões receberão serviços bancários em comunidades rurais na Índia e África do Sul

Caixas eletrônicos que funcionam com energia solar e contas bancárias de baixo custo beneficiarão comunidades rurais pobres


VortexDuas empresas anunciaram no final de 2011 que proverão serviços bancários para mais de 30 milhões de pessoas de baixa renda na Índia e na África do Sul até 2015. O projeto, que beneficiará as áreas rurais de ambos os países, é baseado no “Business Call to Action” (BCtA), uma iniciativa global que encoraja ações do setor privado para combater a pobreza, apoiada por diversas organizações internacionais, incluindo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).
A empresa indiana Vortex Engineering é pioneira na fabricação e instalação de caixas eletrônicos que funcionam com energia solar adaptados às necessidades das comunidades rurais, enquanto na África do Sul, a WIZZIT – uma empresa que oferece serviços bancários, por um baixo custo, usando telefones celulares –, está expandindo o acesso ao crédito para ajudar a abordar uma questão crítica do desenvolvimento: a falta de acesso de comunidades pobres aos sistemas bancário e financeiro.
“A falta de acesso aos bancos e instituições de crédito impede o empoderamento econômico de indivíduos de baixa renda e dificulta o crescimento dos países em desenvolvimento”, disse Susan Chaffin, gestora do programa BCtA. “Nós saudamos a Vortex e a WIZZIT na sua busca para intensificar atividades que, além de representarem uma oportunidade de negócio, também têm grande potencial em impactar positivamente as comunidades de baixa renda na Índia e na África do Sul.”
Mais da metade da população adulta da África do Sul e da Índia carece de acesso a instituições bancárias, em contraste com a Holanda, por exemplo, onde toda a população adulta tem acesso aos serviços bancários, de acordo com estudo do Banco Mundial.
Para lidar com esse problema, a Vortex está se associando a bancos locais indianos para instalar 10 mil caixas eletrônicos que funcionam com energia solar. Os aparelhos são projetados para resistir a condições climáticas difíceis, abastecimento irregular de energia e baixos níveis de instrução entre os usuários dos equipamentos. Espera-se que as máquinas proporcionem acesso aos serviços bancários para 30 milhões de pessoas, principalmente das áreas rurais e semiurbanas.
Fazendo uso da energia solar, os caixas eletrônicos consomem 90% menos energia que um caixa comum, o que torna sua utilização acessível a comunidades pobres e também lucrativa para os bancos.
“A falta de acesso a serviços financeiros pode representar uma grande dificuldade para aqueles que menos dispõem de recursos, de modo que proporcionar acesso a instituições bancárias representa uma oportunidade econômica significativa para as comunidades rurais pobres”, disse V. Vijay Babu, CEO da Vortex.
Na África do Sul, a WIZZIT se comprometeu a oferecer empréstimos pessoais a 10 mil pessoas. Até 2015, mais de 340 empréstimos irão para empresas de pequeno e médio porte e outros 3 mil serão direcionados para microempreendedores através de uma nova linha de crédito que estará disponível por meio de telefones celulares.
Desde 2004, os clientes da WIZZIT têm usado celulares para fazer e receber pagamentos, juntamente com um cartão de débito que também pode ser usado nos caixas eletrônicos e lojas. A empresa agora está expandindo seu portfólio de serviços para oferecer microcrédito por meio de telefones celulares, beneficiando usuários que moram longe das agências bancárias.
“A disponibilidade de crédito pode fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso, o crescimento e a estagnação para pequenos, médios e microempreendedores”, disse Charles Rowlinson, presidente da Wizzit. “Pequenos empréstimos a um custo acessível podem ser de vital importância também para famílias de baixa renda, que os usam para pagar pela educação, saúde e outros serviços fundamentais.

Fonte: PNUD

Nenhum comentário: