quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Mais de 500 parturientes submetidas ao corte de transmissão vertical


Ondjiva - Quinhentos e 69 bebés nasceram livres do vírus do VIH/Sida, durante o ano de 2011, mais 17 em relação ao ano de 2010, na Maternidade do Hospital Central de Ondjiva, província do Cunene, depois de submetidas ao corte de transmissão vertical.
 A informação foi prestada hoje, terça-feira, à Angop, pelo responsável da área epidemiológica do programa do VIH/Sida na região, Octávio Chihepo, referindo que o corte vertical impede a transmissão do vírus de mãe para o filho.
Segundo o responsável, as parturientes fazem a consulta pré-natal, no acto é-lhes oferecido o teste de VIH/Sida, quando o resultado é positivo são encaminhadas para o Centro de Transmissão Vertical (PTV), com vista a terem um melhor acompanhamento antes e durante o parto.
 Referiu que a transmissão do vírus de mãe para filho não acontece durante a gestação mas sim na hora do parto, daí que o corte vertical tem o objectivo de reduzir as chances de infectar o bebé durante o parto, num processo em que o bebé entra em contacto com o sangue da mãe sem a protecção da barreira placentária.
No programa, as gestantes são aconselhadas e acompanhadas até ao parto, ao anteceder o acto é aplicada um soro que completa a não transmissão e a seguir lhes é dado um xarope para darem os filhos até os seis meses.
Octávio Chihepo afirmou que de Janeiro a Novembro foram testados 38 mil 818 cidadãos na província do Cunene, dos quais dois mil e 467 resultaram em testes positivos e 35 mil 865 negativos, sendo na sua maioria do sexo feminino.
 
Fonte : ANGOP

Nenhum comentário: