domingo, 29 de janeiro de 2012

Dados fornecidos pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE mostram que as disparidades também apresentam um recorte de raça/cor

Dados fornecidos pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE mostram que as disparidades também apresentam um recorte de raça/cor.
 A Pesquisa Mensal de Emprego, realizada pelo IBGE, mostra que a renda das pessoas que trabalham no Brasil observou um cenário favorável em 2011, contudo, as disparidades nos ganhos permanecem existindo. Em média, as mulheres receberam 28% a menos que os homens em 2011 – uma média de R$ 1.343,81 para elas contra R$ 1.857,64 para eles.
Em 2011, o rendimento médio mensal habitualmente recebido no trabalho principal, para homens e mulheres, foi estimado em R$ 1.625,46, equivalente a aproximadamente três salários mínimos. Esta quantia foi o valor anual médio mais elevado desde 2003, e 2,7% superior a 2010.
A disparidade de rendimentos não foi observada somente quando se fez o recorte de gênero, mas também no de raça: no ano passado, pessoas negras ou pardas recebiam, em média, pouco mais da metade do rendimento daqueles de cor branca. No mesmo ano, as médias anuais de renda foram de R$ 1.073,22 para as pessoas negras e de R$1.121,44 para pardas, enquanto a média anual de renda para as pessoas brancas foi de R$ 2.050,25.

Fonte: observatorioBrasildeigualdadedegenero

Nenhum comentário: