sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Relatora Independente da ONU afirma que empresas devem fazer mais para prevenir o tráfico de pessoas


Relatora Especial Joy Ngozi Ezeilo. UN Photo / Jean-Marc FerréAs empresas devem ajudar a prevenir e  controlar a utilização de mão de obra traficada em suas cadeias de fornecimento, afirmou ontem (14) a Relatora Especial sobre tráfico de pessoas, em uma reunião internacional de mais de 20 especialistas em Ancara, Turquia.
“O tráfico de pessoas é um fenômeno mundial que atravessa fronteiras, mercados e indústrias”, ressaltou Joy Ngozi Ezeilo.”No mundo globalizado de hoje os riscos de tráfico de seres humanos em cadeias de fornecimento são significativos em todos os setores da economia e afetam todos os Estados, seja como países de origem, de trânsito ou de destino”, adicionou.
Ezeilo observou ainda que as cadeias produtivas da economia global são muitas vezes complexas e envolvem várias camadas de subempreiteiros, o que dificulta o processo de monitoramento e a produção de relatórios. No entanto, ela destacou que governos e empresas devem aumentar seus esforços para garantir que os direitos humanos sejam respeitados.
“A solução para o problema do tráfico de seres humanos nas cadeias de fornecimento está além do alcance de apenas uma das partes interessadas”, declarou a relatora, ao pedir que parcerias entre governos, empresas, meios de comunicação e público em geral sejam formadas para aumentar a conscientização sobre esta questão.

Fonte : ONU Brasil

Nenhum comentário: