terça-feira, 31 de maio de 2011

Professores cubanos de arte vão formar docentes angolanos


Luanda – Professores cubanos de arte vão formar docentes angolanos, no âmbito de um protocolo de
Momento da assinatura do acordo entre Angola e Cuba no domínio cultural
Momento da assinatura do acordo entre Angola e Cuba no domínio cultural
cooperação no domínio da cultura assinado hoje, segunda-feira, em Luanda, entre Cuba e Angola.
 Em declarações à imprensa a propósito da assinatura, a ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, frisou que o trabalho dos professores cubanos em relação ao corpo docente angolano tem uma vasta agenda que deve ser implementada.
 Enalteceu a disponibilidade do Ministério da Cultura cubano, avançado que os dois países combinaram ainda uma troca de embaixadas culturais e enviar e receber músicos afim de que o acordo se estenda até ao lazer.
 “Reconhecemos que já tínhamos deixado este movimento cultural e hoje pudemos assim reafirma-lo”, disse.
 Por sua vez, o vice-ministro cubano da Cultura, Rafael Bernal, referiu que o acordo levará Angola e Cuba a desfrutarem de largas horas de trabalho e intercâmbio cultural.
 Rafael Bernal avançou ainda que a República de Cuba vai demonstrar nesta importante missão um grande empenho a fim de futuramente serem recolhidos os frutos da cooperação entre os dois estados.
 Segundo o responsável cubano, Cuba vai enviar para Angola professores das diferentes áreas culturais, tais como música, dança e artes plásticas.
 Quanto a data do início da execução do acordo, Rafael Bernal disse que a partir do mês de Junho, Cuba prevê começar com o envio de 34 profissionais de arte.

Fonte : ANGOP

Angolanos comemoram hoje 20 anos da assinatura dos Acordos de Bicesse

Por Paulino Neto
  
Luanda – Os Acordos de Bicesse, assinados a 31 de Maio de 1991 entre o Governo da República de Angola e a Unita, em Portugal, na Escola Superior de Hotelaria e Turismo de Estoril, e que marcaram a fase decisiva do fim de uma longa guerra civil, completam hoje, terça-feira vinte anos.
 Embora não tenham trazido a paz definitiva para Angola, os Acordos de Paz transformaram consideravelmente a vida política angolana, pois, com a cessação das hostilidades, foram criadas condições, por pouco tempo, que projectaram o país para a democracia e a livre circulação de pessoas e bens. 
 Depois de cerca de trinta anos de dor, privações e luto, causados por uma guerra cruel e devastadora, o povo angolano teve, a partir da assinatura dos Acordos de Paz, a possibilidade de encarar com optimismo e confiança o seu futuro, mas tudo foi por “água abaixo”, devido ao reacender dos conflitos.
 O conflito armado foi a causa principal da morte de mais de quatro mil pessoas, milhares de deslocados, centenas de crianças órfãs e da destruição de grande parte das infra-estruturas e a contracção de uma elevada dívida externa.
 O escasso tempo de tranquilidade e paz relativa que os angolanos viveram mostraram que, sem guerra, Angola poderia dar, económica e socialmente, um pulo rumo ao desenvolvimento.
 No acto da assinatura do documento, o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, disse que “o povo angolano e o país precisam de sossego e estabilidade inteira, precisam da compreensão e apoio da comunidade internacional para construir o seu futuro”.
 Segundo o Chefe de Estado, “em todo este processo houve também uma bem sucedida conjugação de esforços a nível internacional, que ajudaram a atenuar as divergências e lançar as bases de uma convivência pacífica e aberta entre todos os angolanos”.
 “Tenho a expressar em nome do povo angolano e do seu Governo, e também em meu nome pessoal, o mais vivo reconhecimento ao Governo da República Portuguesa, pela forma empenhada, isenta, sensata e sábia como exerceu o seu esforço de mediação entre o Governo angolano e a Unita”, reconheceu o Presidente.
 Bicesse previa um “acordo de cessar fogo”, da responsabilidade do Governo de Angola e da Unita, actuando no âmbito da Comissão Conjunta Político-Militar (CCPM), criada nos termos de princípios fundamentais para a instauração da paz no país. 
 Segundo os acordos, a CMVF (Comissão Mista de Verificação e Fiscalização) teria a competência necessária para assegurar o efectivo cumprimento do cessar fogo, cabendo-lhe, nomeadamente, conhecer as áreas de localização das tropas, controlar o cumprimento das normas de conduta previamente acordadas para as tropas nas áreas de localização. 
 Com o acordo deu-se então início ao processo de democratização, que conduziu o país às primeiras eleições multipartidárias e presidenciais, realizadas nos dias 29 e 30 de Setembro de 1992.
 Divulgados os resultados finais, ratificados pela então representante em Angola do secretário geral da ONU, Margaret Anstee, confirmaram que as eleições, realizadas de forma livre e justa e fiscalizadas por observadores internacionais, foram ganhas por maioria absoluta pelo MPLA, com 2.124.126 votos, correspondendo a 53,74 porcento.
 Os resultados foram contestados pela Unita que, no período de paz, foi se rearmando, mergulhando novamente o país numa guerra sem precedente, ocupando ilegalmente as principais cidades de províncias, numa clara tendência de tomada do poder pela força.
 Este acto surpreendeu a então representante do secretário geral da ONU, Margaret Anstee, que não acreditava ou nada fazia a volta das denúncias apresentadas pelo órgão reitor dos acordos, a CCPM.
 Mergulhado numa nova guerra civil, o número de vítimas mortais triplicou comparativamente aos conflitos anteriores, assim como aumentaram os deslocados, a fome, a miséria e as destruições das infra-estruturas.
 Com o “andar da carruagem”, as Nações Unidas enviaram a Angola o maliano Alioune Beye, em substituição de Margareth Anstee, com o objectivo de mediar novas negociações e encontrar uma solução africana ao conflito.
 A partir daí, a capital zambiana, Lusaka, passou a albergar novas negociações entre o Governo e a Unita que, depois de mais de um ano de debates, a 20 de Novembro de 1994, foi rubricado o protocolo de Lusaka pelo então ministro das Relações Exteriores, Venâncio de Moura (Governo), e pelo antigo secretário geral da Unita, Eugénio Manuvakola.
 Mesmo com o Acordo de Lusaka registavam-se constantemente ataques armados em várias localidades do país, até que, após negociações, sem a interferência de mediação estrangeira, os angolanos entenderam que havia a necessidade da cessação das hostilidades.
 Assim foi assinado a 4 de Abril de 2002 o Memorando de Entendimento Complementar ao Protocolo de Lusaka, entre o Governo e a Unita, marcando o fim de um longo período de guerra.

Fonte : ANGOP

Denúncias de casos de violência doméstica chegam a mil por mês em Manaus

Todos os dias a Delegacia Especializada de Crimes contra a Mulher recebe, em média, 50 denúncias de caso de violência doméstica, totalizando cerca de 1 mil reclamações ao mês.
A maioria dos casos se refere às ameaças de morte e agressão física.  A informação foi dada neste domingo (29) durante o 1º Fórum sobre Violência contra a Mulher, realizado no Centro Estadual de Convivência da Família.
As estatísticas são da Polícia Civil do Amazonas.  Nos casos de homicídio, o controle fica por conta da Delegacia Especializada.  A escrivã-chefe da Delegacia da Mulher, Leila Amud, que substituiu a delegada Lia Gazineu, orientou que o primeiro procedimento em casos de violência é prestar queixa na polícia.  Dependendo da gravidade do caso, como tentativa de homicídio, o agressor pode levar pena de prisão.
Na avaliação da atual presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Ísis Tavares, é importante que as mulheres participem das discussões sociais que ajudam na informação e no combate à violência.
Segundo Ísis, muitas mulheres se submetem à agressão dos parceiros porque não possuem autonomia financeira.  Ela também pontuou que a cultura machista e o status social repelem outras vítimas de violência denunciar os agressores.
“As mulheres precisam se conscientizar que apanhar uma vez, duas vezes, de um homem violento e não se afastar disso pode acabar na sua morte”, alertou Ísis Tavares.
Dados
O serviço de denúncia Ligue 180, específico para receber queixas de violência doméstica contra a mulher, registrou alta de 112% de janeiro a julho deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados divulgados em julho do ano passado pela Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, que criou a central em 2005.
A busca de informações sobre a Lei Maria da Penha, lei 13.340/2006, corresponde a 50% do total de informações prestadas pelo Ligue 180.  A Lei Maria da Penha completa quatro anos de sanção nesta semana.
Perfis parecidos
A maioria das mulheres atendidas têm entre 25 e 50 anos (67,3%) e nível fundamental de escolaridade (48,3%).  Nas queixas, a maioria apontou que os agressores têm entre 20 e 45 anos (73,4%) e também Nível Fundamental de escolaridade (55,3%).


Fonte : combateracismoambiental

Bolsas de estudo para cursos em Israel

A Embaixada de Israel em colaboração com o Centro de Cooperação Internacional do Ministério das Relações Exteriores (MASHAV) abriu inscrição para diversos cursos em Israel com bolsas de estudos. 
Para os candidatos selecionados será oferecida uma bolsa de estudos que inclui pensão completa, assistência e seguro médico durante o período do curso.

A passagem aérea não está incluída e as despesas pessoais são por conta do estudante.

Os interessados em obter mais informações devem acessar o site http://brasilia.mfa.gov.il ou enviar um e-mail para dcm-sec@brasilia.mfa.gov.il.


Cursos oferecidos:

"Treinamento Internacional em Abordagem Integrada para Melhorias de Áreas Urbanas Carentes" – O curso será em inglês e ocorre em Israel de 04 de julho a 02 de agosto de 2011.  As inscrições estão abertas até o dia 10 de junho de 2011. 

"Projetos Municipais de Segurança Pública" – O curso será em espanhol e ocorre em Israel de 10 de julho a 01 de agosto de 2011. As inscrições estão abertas até o dia 10 de junho de 2011.

"Governo Local e o Papel da Sociedade Civil no Desenvolvimento Sustentável Local" – O curso será em inglês e ocorre em Israel de 18 de setembro a 12 de outubro de 2011.  As inscrições estão abertas até o dia 10 de agosto de 2011.

"Desenvolvimento e Organização em situações com feridos e vítimas em massa”. O curso será em inglês e ocorre em Israel de 06 a 19 de novembro de 2011. As inscrições estão abertas até o dia 25 de junho de 2011.

 "Violência contra Mulheres e Crianças" – O curso será em inglês e ocorre em Israel de 05 a 22 de setembro de 2011 em Haifa, Israel. As inscrições estão abertas até o dia 05 de julho de 2011.

"Desenvolvimento profissional para professores em serviço" – O curso será em inglês e ocorre em Israel de 29 de agosto a 22 de setembro de 2011. As inscrições estão abertas até o dia 20 de julho de 2011.

"Projetos de Desenvolvimento Rural Integrado" – O curso será em espanhol e ocorre em Israel de 18 de setembro to 12 outubro de 2011.  As inscrições estão abertas até o dia 05 de agosto de 2011.

Mais informações. 

Senado, UnB e Educafro promovem debate sobre cotas

O sistema de cotas para negros nas universidades públicas será tema de discussão na Audiência Pública do Senado Federal que acontecerá no Auditório da Reitoria da Universidade de Brasília hojé, terça-feira (31), às 9h. 
 A Audiência é uma iniciativa do Senado UnB e Educafro. Estão confirmadas as participações de José Geraldo de Sousa Jr. (Reitor da UnB), senadora Ana Rita (PT/ES), Luís Salomão (ministro do STJ), Frei David (Educafro), Maria Eduarda Tannuri-Pianto (professora do Departamento de Economia, da UnB) e William Douglas (Juiz Federal no Rio de Janeiro).

Fonte:igualdadeeidentidade

Seminário discute caminhos para a Promoçõa da Igualdade Racial GDF


I Seminário Construir Políticas Públicas para a Igualdade Racial do GDF". Promovido pela Coordenadoria para Assuntos da Igualdade Racial do Distrito Federal e Entorno - Copir/DF. Objetivo - promover a gestão compartilhada entre Estado e representantes das comunidades tradicionais, de matriz africana e do Movimento Negro do DF, debatendo temas relativos ao desenvolvimento de políticas públicas para a comunidade negra, indígena e cigana.

Segunda-feira (06/06) - 18h30
Auditório da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências e Saúde - Fepecs - W3 Norte, Quadra 501.


100ª Conferência Internacional do Trabalho começa dia 1º de junho

Evento segue até 17 de junho, incluindo rodada sobre trabalho decente para as trabalhadoras domésticas

A presidenta da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (Fenatrad), Creuza Maria e Oliveira, e mais cinco representantes da entidade, participa da 100ª edição da Conferência Internacional do Trabalho (100ª CIT), em Genebra, na Suíça. O evento é promovido pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Apoiadas pelas Secretarias de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), de Políticas para as Mulheres (SPM) e Secretaria-Geral da Presidência da República, as sindicalistas focam a segunda rodada de discussões sobre 'trabalho decente para as trabalhadoras e trabalhadores domésticos', quando será definida a adoção de um instrumento internacional de proteção ao trabalho doméstico e sua natureza. Veja propostas de alterações na Constituição por igualdade de direitos trabalhistas para a categoria no site da Fenatrad.

FONTE: SEPPIR

CCIR e Polícia Civil do Rio realizam workshop sobre Lei Caó

Hojé  (31), 10h, na Acadepol

Direcionado a delegados titulares da capital, Baixada Fluminense e interiores, o evento contará com a presença da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki. A promoção é da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) e da Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCERJ). O objetivo é conscientizar os profissionais sobre a importância da aplicação do artigo 20 da Lei Caó, que prevê pena de reclusão para pessoas que pratiquem, induzam ou incitem a discriminação ou o preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. A chefe de Polícia Civil, Marta Rocha, comandará as atividades.


Fonte: SEPPIR

Ministra Luiza Bairros aborda Relações Etnicorraciais em audiência pública sobre PL do Plano Nacional de Educaçã

Nesta quarta-feira (10 de junho), às 14h30, no Plenário 10 do Anexo II
da Câmara dos Deputados

A ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros, fará um pronunciamento em audiência pública sobre o Projeto de Lei - PL 8.035/2010 - que aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) para o decênio 2011-2020. A participação da ministra na audiência foi proposta pelo deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), relator da Comissão Especial de Análise do PNE (CE/PNE), criada no âmbito da Comissão de Educação, Cultura e Esporte, da Câmara dos Deputados.

Fonte : SEPPIR

Campanha Direitos Humanos - Equidade Racial

Campanha Direitos Humanos – Vamos jogar mais luz sobre esse tema, com foco nas questões raciais

A discriminação racial no Brasil não pode ser ignorada. O preconceito, o
racismo e a violência física e psicológica contra afrodescendentes são violações aos Direitos Humanos que ocorrem o tempo todo e precisam acabar.
O Fundo Brasil é uma fundação que viabiliza projetos de pessoas que conhecem de perto o problema e sabem como enfrentá-lo. São iniciativas de intervenção social e política, que promovem conscientização e criam oportunidades para quem trabalha pela equidade racial em todo o país.
Precisamos do seu apoio para ajudar a transformar essa realidade.
Podemos construir juntos uma sociedade mais justa e igualitária com vida digna para todos e todas.

Acesse o site: http://www.fundodireitoshumanos.org.br/
 

Fonte : Fundo do Brasil em Direitos Humanos

Ação antipoluente deve considerar gênero

Cartilha recomenda que política pública leve em conta que homens e mulheres enfrentam riscos diferentes na exposição a produtos tóxicos.

A política de gestão de produtos tóxicos, que provocam cerca de 20 mil mortes por ano, precisa levar em conta que homens e mulheres estão expostos de modo diferente a essas substâncias químicas e que seus organismos reagem distintamente à contaminação. É o que recomenda a cartilha Produtos Químicos e Gênero, lançada pelo Grupo de Meio Ambiente e Energia do PNUD.
Programas com essas características podem compreender melhor as diferenças socioculturais e biológicas e combater de modo mais preciso a contaminação. Nas comunidades rurais dos países em desenvolvimento, por exemplo, os homens geralmente são mais expostos à contaminação durante a aplicação dos produtos tóxicos, e as mulheres (e às vezes as crianças), durante o plantio e a colheita. Elas também entram em contato mais frequente com substâncias perigosas presentes em cosméticos e itens de higiene pessoal, como sabonetes, cremes e xampus.
No setor de saúde, em que a maioria dos trabalhadores é do sexo feminino, as mulheres estão mais sujeitas a contaminação de agentes químicos utilizados em procedimentos médicos. Como as mulheres e meninas também costumam cuidar da limpeza doméstica, ficam expostas em maior grau a substâncias tóxicas presentes em mercadorias desse tipo.
Do ponto de vista biológico, por ter maior proporção de gordura corporal, as mulheres armazenam quantidades mais altas de poluentes ambientais em seus tecidos. Além disso, em algumas fases, como gravidez, lactação e menopausa, o organismo feminino sofre rápidas mudanças, que potencializam a vulnerabilidade.
Os homens, por sua vez, estão comumente em maior risco de exposição a componentes tóxicos usados na mineração, em operações de curtume e oficinas mecânicas. Sob uma perspectiva fisiológica, uma série de estudos destaca o aumento mundial nos incidentes de câncer de testículo e de outros transtornos reprodutivos masculinos, incluindo a diminuição na quantidade e qualidade dos espermatozoides.
Para enfrentar essa situação, o PNUD recomenda uma abordagem multidisciplinar, envolvendo todos os ministérios que atuam diretamente na gestão de produtos químicos — como o do meio ambiente, indústria, trabalho, saúde, mulheres, agricultura, educação e comércio —, além de associações industriais, sindicatos, laboratórios, universidades, e organizações da sociedade civil.
A cartilha, voltada a gestores de políticas para o setor, aponta que é fundamental garantir a participação de populações vulneráveis que geralmente são sub-representadas nos processos decisórios, como mulheres, trabalhadores e comunidades indígenas.

Fonte : PNDU

segunda-feira, 30 de maio de 2011

SEMINÁRIO CONSTRUIR UM NOVO CAMINHO PARA A PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

06 DE JUNHO
Programação
Eixos: Saúde, Diversidade Cultural, Desenvolvimento -Trabalho e Economia Solidária,
Educação, Habitação, Direitos Humanos, Regularização Fundiária,Juventude.
21h30min – Leitura Carta Pacto para Brasília: Construir Políticas Públicas Para a
Igualdade Racial
22h- Encerramento.

Ficha de Inscrição no site: http://www.coppirdf.blogspot.com/



Fonte : Boleteim COPIRDF




O Distrito Federal em sua amplitude social é composto por uma diversidade étnica e racial originária da migração de trabalhadores e trabalhadoras em busca de qualidade de vida propícia a um desenvolvimento não encontrado em seus estados de origens.
A população Negra do DF, assim como no Brasil apresenta um cenário de extrema desigualdade em relação às demais, fato este, consequência de uma cultura de opressão racial,oriunda do período escravocrata que permeia a sociedade brasileira até os dias atuais.
O I Seminário Construir Políticas Públicas Para a Igualdade Racial no GDF, promovido pela Coordenadoria para Assuntos da Igualdade Racial do DF e Entorno – COPIR DF, tem como objetivo principal promover a gestão compartilhada entre Estado e representantes das comunidades Tradicionais, de Matriz Africana e do Movimento Negro do Distrito Federal e Entorno, debatendo temas referentes ao desenvolvimento de Políticas Públicas para a comunidade negra, indígena e Cigana.
O evento contará com palestras seguidas de debates no Auditório da FEPECS , no dia 06 de Junho de 2011.



18h30min – Abertura
19h- Palestra: Palestra: Racismo, Igualdade Racial e Políticas Públicas.
20h- Rodas de Prosa : Quais as políticas públicas que queremos construir para a
Igualdade Racial para o GDF ?

SPM promove, a partir de segunda-feira, o Fórum Nacional Permanente de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e da Floresta

De 30 a 31 de maio, a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) reúne, em Brasília, representantes do governo federal e da sociedade civil no Fórum Nacional Permanente de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres do Campo e das Florestas. Seu objetivo é discutir propostas dos programas do Plano Plurianual (2012 – 2015) e definir a participação das mulheres do campo e da floresta na 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres. O evento ocorre no Hotel St. Paul (Setor Hoteleiro Sul – SHS, Quadra 2, Bloco H), a partir das 9h.
Participam do Fórum, a secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves - que na ocasião representa a ministra Iriny Lopes, da SPM -, e representantes da sociedade civil e dos Ministérios da Justiça, Saúde, do Desenvolvimento Agrário, da Educação, da Agricultura, do Meio Ambiente e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e das Secretarias de Políticas da Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), de Direitos Humanos (SEDH) e da Secretaria-Geral da Presidência da República.
Em pauta: apresentação das ações ministeriais com base nas diretrizes de enfrentamento à violência contra as mulheres do campo e da floresta; propostas e dotações orçamentárias dos respectivos Ministérios para o próximo PPA (2012-2015); 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres; e Marcha das Margaridas.
Respondendo a uma demanda histórica da Marcha das Margaridas, em agosto de 2007, o Governo Federal instalou – por meio da SPM, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário e demais Ministérios –, o Fórum Nacional Permanente de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo e das Florestas. Ele está incluído no Pacto Nacional pelo Enfrentamento da Violência contra as Mulheres, visando ampliar, fortalecer e garantir  ações do Estado brasileiro para o enfrentamento à violência contra as mulheres rurais.

Acesse aqui a programação.

Exposição homenageia Mulheres Negras da Irmandade da Boa Morte (BA)

O Museu Afro Brasil, instituição da Secretaria de Estdo da Cultura apresenta a exposição Mulheres Negras - A Irmandade da Boa Morte de Cachoeira. Com fotos do fotógrafo e etnólogo Pierre Verger (1902-1996) e de Adenor Gondim, apresenta também jóias crioulas, como os famosos balangandãs baianos, e uma imagem original de Nossa Senhora da Boa Morte do século XIX, trazida especialmente da cidade de Cachoeira, localizada no Recôncavo da Bahia, para esta exposição. Ao todo são 90 peças, e ainda uma instalação que transmite imagens de um documentário especial sobre a sociedade formada exclusivamente por mulheres negras. A Irmandade da Boa Morte é uma organização católica com sede na Bahia, composta por mulheres acima de 45 anos de idade, que também são adeptas do Candomblé. Uma das mais velhas integrantes, é a yalorixá Mãe Filhinha, com 107 anos. Entrada gratuita. Até 24 de julho.
O Museu Afro Brasil – Organização Social de Cultura, vinculado à Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, é um espaço de preservação e celebração da cultura, memória e da história do Brasil na perspectiva negro africana, assim como na difusão das artes clássicas e contemporâneas, populares e eruditas, nacionais e internacionais. Localizado no Parque Ibirapuera, em São Paulo, foi inaugurado em 23 de outubro de 2004 e possui um acervo de mais de cinco mil obras. Parte das obras, cerca de duas mil, foram doadas pelo artista plástico e curador, Emanoel Araujo, idealizador e atual Diretor Curador do Museu. A biblioteca do museu, cujo nome homenageia a escritora, “Carolina Maria de Jesus”, possui cerca de 6.800 publicações com especial destaque em uma coleção de obras raras sobre o tema do Tráfico Atlântico e Abolição da Escravatura no Brasil, América Latina, Caribe e Estados Unidos. A presença negra africana nas artes, na vida cotidiana, na religiosidade, nas instituições sociais são temas presentes na biblioteca. O museu mantém um sistema de visitação gratuita para todas as exposições e atividades que oferece; um Núcleo de Educação com profissionais que recebem grupos pré-agendados, instituições diversas, além de escolas públicas e particulares. Através do Núcleo de Educação também mantém o programa “Singular Plural: Educação Inclusiva e Acessibilidade”, atendendo exclusivamente pessoas com necessidades especiais e promovendo a interação deste público com as atividades oferecidas.

Funcionamento: de terça a domingo, das 10 às 17 horas (permanência até às 18h) Estacionamento: Portão 3 – Zona Azul Entrada: Grátis Classificação: Livre Para maiores informações:
 faleconosco@museuafrobrasil.org.br Para agendar visitas: agendamento@museuafrobrasil.org.br ou Fone:
 55 11 3032-8900 ramal 121
Secretário da Cultura: Andrea Matarazzo
Diretor curador: Emanoel Araujo
Diretor executivo: Luiz Henrique Marcon Neves

Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/ nº Parque Ibirapuera- Portão 10 São Paulo- SP - Brasil
CEP: 040094-050 Fone: 55 11 3320-8900   www.museuafrobrasil.org.br
 Assessoria de Imprensa : Central de Comunicação Atendimento : Claudia Alexandre
 (central@centraldecomunicacao.com.br); Paula Costa e Michela Gonçalves


Postado por Claudia Alexandre Correio Nagô

ONU Mulheres seleciona consultor para serviços de tradução em espanhol

A ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, por meio do Programa Regional Gênero, Raça, Etnia e Pobreza, seleciona, até 31 de maio, consultor para serviços de tradução Português – Espanhol e Espanhol Português.
 A oportunidade exige ensino superior completo em qualquer área do conhecimento, experiência comprovada em tradução de textos jornalísticos com linguagem 2.0, conhecimento avançado em tradução de textos sobre as temáticas de gênero, raça e etnia. Assim como a realização de traduções anteriores para as Agências do Sistema das Nações Unidas e fluência em Português e Espanhol.
 
Para mais informações, consulte o Termo de Referência.
 
Os (as) interessados (as) devem enviar, até 31 de maio de 2011, às 18h, currículo e proposta financeira, com o valor por palavra para tradução Português – Espanhol e Espanhol Português, para mara.silva@unwomen.org, contendo no assunto da mensagem “Tradutor Português - Espanhol”.

Fonte : ONUMulheres

Inscrições para 7º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero começam no dia 1º de junho

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) em parceria com o a ONU Mulheres Brasil e Cone Sul, o Ministério da Educação (MEC), o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e lançam a 7ª edição do Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero.
As inscrições terão início no dia 1º de junho e se encerrão no dia 16 de setembro de 2011, às 24 horas, (horário de Brasília). O Prêmio faz parte do Programa Mulher e Ciência/SPM/PR, que estimula a produção científica e a reflexão acerca das relações de gênero, mulheres e feminismos no País e promove a participação das mulheres no campo das ciências e carreiras acadêmicas.
O concurso premia redações e artigos científicos dos estudantes de ensino médio; estudantes de graduação; graduados, especialistas, estudantes de Mestrado; Mestres e estudantes de Doutorado. Para fomentar melhor a perspectiva de gênero no meio educacional, em 2009 foi criado um prêmio especial para as escolas de nível médio: Escola Promotora da Igualdade.

Carlos Moore lança em Salvador, dia 3 de junho, na Casa de Angola, livro biográfico do músico africano Fela Kuti

Após 29 anos do seu lançamento na Europa (França e Inglaterra) chega ao Brasil a biografia de Fela Kuti, escrita pelo cientista político Carlos Moore e com Prefácio de Gilberto Gil. O livro Fela, esta vida puta, tem o selo mineiro Nandyala, será lançado dia 3 de junho, às 18 horas, na Casa da Angola, em Salvador, em meio a uma polêmica hollywoodiana: a Broadway (EUA) está com o musical Fela!, produzido pelos astros Jay Z e Will Smith, baseado no livro de Moore, sem a autorização do autor.
No lançamento em Salvador (3/6), além da sessão de autógrafos de Moore - que mora na capital baiana há 10 anos - haverá transmissão de vídeos de shows de Fela Kuti e uma festa só de músicas afrobeat com o DJ Sankofa. O evento é uma parceira do CEAFRO – programa do Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia (UFBa) com a Casa de Angola.
Aliás, a proposta de Moore e da editora Nandyala é lançar o livro em várias capitais do país, com muita música e vídeos de Fela Kuti. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre já estão na rota. O livro trás comentários de Sueli Careiro, Carlinhos Brown, Chico César, Yeni Anikulapo Kuti, Seun Anikulapo Kuti, Feni Anikulapo Kuti, Paulo Lins, Robert Farris Thompson, Margaret Busby, Lindsay Barrett e Hugh Masekela.
Moore foi amigo de Fela Kuti (1938-1997), cujo nome completo era Olufela Olusegun Oludotun Ransome-Kuti - o criador do afrobeat um movimento musical e político, nos anos 70. Moore comenta que Fela Kuti se destacou internacionalmente por promover a junção de vários ritmos negros africanos e da diáspora- jamaicanos e norte-americanos. O resultado foi um outro ritmo suingado, envolvente e irresistível. Já as composições de Fela Kuti contestavam a política de governos e regimes autoritários do seu país, a Nigéria. Algumas músicas chegaram a ter mais de 20 minutos de duração! Fela Kuti chegou a criar um partido de oposição, Movimento of the People (MOP), e se candidatou a Presidência da Nigéria. Fela  Kuti era , sem dúvida. adrenalina pura.
Depois de muita insistência de Moore, Fela Kuti aceitou a proposta de escrever o que se tornou a única biografia autorizada, em 1981. Aldo do tipo: topo fazer o livro e venha já. Moore não pensou duas vezes e foi ao encontro de Fela Kuti. Na época Moore morava na França e as entrevistas foram feitas em Paris e em Lagos (Nigéria) na Kalakuta, um tipo de república alternativa e independente criada por Fela Kuti que, na verdade, foi um espaço de resistência ao autoritarismo nigeriano e onde também viviam outros músicos e familiares.
Foi na Kalakuta que a mãe de Fela Kuti, a ativista Funmilayo Ransome-Kuti, acabou sendo assassinada pela polícia, tendo sida arremessada por uma janela por policiais, durante uma das várias invasões violentas a Kalakuta. No livro, Moore explica que esse crime afetou profundamente Kuti. Essas e muitas outras histórias são contadas por Moore, na primeira pessoa no livro Fela, essa vida puta, o que dá a sensação do leitor estar conversando com Fela Kuti. Aceleradissimo, criativo, visionário, idealista, amado e odiado, transgressor e rebelde até as últimas conseqüências. Esses adjetivos resumem parte da personalidade polêmica de Fela Kuti e que Moore soube bem dimensionar em seu livro.
* Obrigada por sua atenção. Caso queira mais informações favor contatar com:
 
Carlos Moore - Tel: (71) 3016.6291ou  8784.7034  AI
Ceres Santos – Jornalista e Coord. Executiva do Ceafro/UFBa
Tel.: (71) 9989.7243 ou (74) 9966.6769, 3283.5520 ou 3375.1554
Salvador, 22/05/2011

Fonte : SEPPIR

Encontro

CUMBRE MUNDIAL DE JUVENTUD / 13-17 de junio del 2011

Radisson Europa Hotel & Centro de Convenciones
San José, Costa Rica


En la actualidad es indiscutible que el desarrollo humano no depende solo de la reducción de la pobreza, existe consenso de modo creciente que este objetivo requiere también aumentar la equidad y proporcionar la disminución de las desigualdades de todo tipo.
En los últimos años, los(as) afrodescendientes en las Américas se convirtieron en actores sociales y políticos que reivindican sus derechos, siendo que la historia de la población Afrodescendiente se expresa en un continuo de resistencia y fuerza, que marcan los últimos siglos de la historia de los países de la región.
Según los datos estadísticos, la población Afrodescendiente presenta los indicadores más bajos de exclusión social. En contrapunto a esa dura realidad, existen algunos marcos que apuntan para la potencialidad de las diversas juventudes afrodescendientes organizadas, tales como las redes, movimientos y organizaciones; además del diálogo con el poder público que tiene algunos avances a favor de la equidad racial en los últimos años.Los gobiernos, organizaciones sociales y organismos internacionales, trabajan junto con las poblaciones Afrodescendientes en la lucha contra el racismo, la discriminación racial, y por la inclusión de esta población en los espacios de toma de decisiones y definiciones de políticas publicas. En ese marco de actuación política, la juventud afrodescendiente siempre ha protagonizado una serie de momentos socio políticos en los países, fortaleciendo y valorando la lucha del movimiento social afrodescendiente en el mundo, y reconociéndose como parte de él.Ese movimiento indica la construcción de un nuevo papel para las juventudes afrodescendientes, que visa de modo participativo y pro-activo, construir un nuevo panorama social para la juventud, valorando las distinciones y superando las desigualdades.
OBJETIVOS
La Cumbre Mundial de Juventud Afrodescendiente servirá como plataforma para el analisis de los avances, oportunidades y desafíos hacia el desarrollo integral de este importante sector; enmarcados en el fortalecimiento de su articulación política y el empoderamiento de los liderazgos jóvenes afrodescendientes a nivel mundial.

 

Fonte : Mulheres Negras - do umbigo para mundo

XV Congreso de la FIEALC América Latina, Globalidad e Integración

La Federación Internacional de Estudios sobre América Latina y el Caribe (FIEALC) se constituye en México en 1978 con el objetivo de fomentar el intercambio de conocimiento y experiencias acerca de los estudios sobre América Latina realizados por el conjunto de instituciones miembro de la Federación, así como para promover y difundir la interdisciplinariedad en estos estudios.
El congreso está orientado a explorar, desde distintas perspectivas, las relaciones de América Latina y el Caribe con el resto del mundo.
A partir de este tema central, se desarrollan las siguientes áreas temáticas:
I. Relaciones políticas de América Latina con el resto del mundo. Desarrollo del pensamiento político desde la antigüedad hasta nuestros días.
II. Globalización y desarrollo económico: de América Latina y el Caribe a la economía mundial.
III. Desarrollo y renovación en el ámbito científico y tecnológico.
IV. Relaciones culturales de América Latina con el resto del mundo.
V. Lengua, lingüística, literatura, arte y cultura: pasado y presente.
VI. Historia, sociedad y ambiente: del espacio americano al espacio mundial.

Mais información: http://congresosfiealc.org

Fonte : Mulhres Negras - do Umbigo para Mundo

IX RAM Culturas, Encontros e Desigualdades

Debate sobre pobreza extrema chega à Paraíba

Seminário promovido pelo Ipea, que já passou pelo DF e pelo RS, será realizado hoje  segunda-feira em João Pessoa


Dando prosseguimento à série de seminários sobre o tema A dimensão e a medida da pobreza extrema no Brasil, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada levará o debate, nesta segunda-feira, dia 30, a João Pessoa (PB). O evento tem o apoio do Governo do Estado da Paraíba, do Instituto de Desenvolvimento Municipal e Estadual (Ideme), do Sebrae-PB e do Instituto Unigente.
O credenciamento para o seminário começará às 9h, no auditório da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (CINEP, Rua Feliciano Cirne, 50, Jaguaribe). Todos os interessados no tema, especialmente gestores públicos e pesquisadores, estão convidados. A entrada é gratuita, e o evento vai até as 12h.
Participarão do seminário a secretária de Desenvolvimento Humano da Paraíba, Maria Aparecida Ramos de Meneses, o superintendente do Ideme, Mauro Nunes Pereira, e o técnico de planejamento e pesquisa do Ipea Rafael Osório, que fará uma apresentação com dados sobre pobreza extrema no Brasil e no estado nordestino. A moderação ficará a cargo de Constantino Cronemberger Mendes, representante do Ipea na região Nordeste. Para mais informações, mande mensagem ( eventos@ipea.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ) ou telefone (61-3315-5108).

Abdias do Nascimento será homenageado em Missa de Sétimo Dia/Fotos do último dia de Abdias nesta terra

As Secretarias de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e a de Cultura da Bahia (Secult/BA) - através da Fundação Pedro Calmon, a Secretaria Municipal da Reparação (Semur) e a Venerável Ordem Terceira do Rosário de Nossa Senhora dos Homens Pretos convidam amigos e admiradores para a Missa de Sétimo Dia, em sufrágio à alma de Abdias do Nascimento. A missa será realizada na Igreja do Carmo, Centro Histórico de Salvador, na segunda-feira (30), às 9h e contará com a presença da Dra. Elisa Larkin, viúva do primeiro deputado federal afro-brasileiro a dedicar seu mandato à luta contra o racismo.
 O ativista Abdias do Nascimento faleceu aos 97 anos, na última terça-feira (24), depois de passar dois meses internado no Hospital dos Servidores do Estado do Rio de Janeiro, devido a complicações decorrentes de diabetes. Além de ex-deputado e ex-senador, foi precursor do movimento negro no Brasil, se tornando um grande líder na luta dos direitos e representante das conquistas da comunidade negra.

História _ Abdias Nascimento foi artista plástico e professor benemérito da State University of New York. Foi titulado como ‘doutor honoris causa’ pelas Universidades de Brasília (UnB), do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade do Estado da Bahia (UNEB), em função da militância no combate à discriminação racial. Recebeu diversas premiações, como o Prêmio Unesco em 2001, na categoria Direitos Humanos e Cultura de Paz.
 Nascido em Franca (SP), na década de 40, fundou o Teatro Experimental do Negro e o jornal Quilombo, no Rio de Janeiro. Durante o regime militar, exilou-se nos Estados Unidos. No retorno ao Brasil, exerceu mandato de deputado federal entre 1983 e 1987 e de senador de 1997 a 1999, além de ter criado e ocupado nos anos 90, a Secretaria Extraordinária de Defesa e Promoção das Populações Afro-Brasileiras, no governo fluminense.

Texto: Camila França
Correio Nagô

Fotos do último dia de Abdias na terra (Mônica Aguiar ) 




 

 

 


 




 




 

sábado, 28 de maio de 2011

Jornal Nacional Morre, aos 97 anos, o ex-senador Abdias Nascim...

EDITAIS EM ANDAMENTO

Fundo Internacional para a Diversidade Cultural


Financiamento para programas e projetos de promoção e proteção da diversidade cultural. O Fundo Internacional para a Diversidade Cultural criado pela Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, já entrou em sua fase piloto de funcionamento, com a divulgação de um formulário de pedidos de financiamento para programas e projetos. Mais informações, acesse!

Prêmio Ibero-Americano de Patrimônio cultural
A Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), órgão ligado ao Ministério de Assuntos Exteriores e de Cooperação da Espanha, recebe até 03 de junho as inscrições para a sétima edição do Premio Internacional Reina Sofía de Conservación y Restauración del Patrimonio Cultural. A ação promovida desde 2001 é voltada ao reconhecimento de trabalhos, iniciativas ou trajetórias profissionais no campo do patrimônio cultural, que se destacam por sua qualidade ou pelo benefício gerado para o desenvolvimento das regiões onde foram realizadas, sobretudo nos países ibero-americanos. A premiação será distribuída em duas categorias, Patrimônio Material e Patrimônio Imaterial. Os vencedores de cada categoria receberão 30 mil euros, além de uma escultura especialmente confeccionada para o prêmio e de uma placa e diploma comemorativo. Poderão se candidatar qualquer pessoa física ou jurídica dos países da comunidade ibero-americana (excluídos Espanha, Portugal e Andorra). Edital do Premio Internacional Reina Sofía de Conservación y Restauración del Patrimonio Cultural.

Edital de programação cultural
O Banco do Brasil abriu inscrições para seleção de projetos para programação 2012/2013 dos seus espaços culturais. Pessoas físicas e jurídicas de todo o país podem enviar propostas, até o dia 31 de maio, para tentar realizar atividades nas unidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte. O edital abrange as áreas de música, exposições, artes cênicas, cinema e vídeo, programa educativo e ideias. Acesse: www.bb.com.br/cultura.


Preservação do Patrimônio Cultural
O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) está com inscrições abertas para o 24º Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. O concurso tem abrangência nacional e pretende selecionar trabalhos de preservação do patrimônio cultural. Pessoas físicas ou jurídicas podem enviar propostas, até o dia 08 de julho, para superintendências estaduais do Iphan, instaladas nas 27 unidades federativas do país. O Prêmio está dividido nas categorias de Promoção e Comunicação, Educação Patrimonial, Pesquisa e Inventário de Acervos, Preservação de Bens Móveis, Preservação de Bens Imóveis, Proteção do Patrimônio Natural e Arqueológico e Salvaguarda de Bens da Natureza Imaterial. Nesta edição, o concurso está inserido nas comemorações do Ano Internacional do Afrodescendente e homenageia o centenário de nascimento do artista plástico Caribé. Mais informações e endereço das superintendências aqui.

Fundação Telefônica lança edital cultural
A Fundação Telefônica lança seu primeiro edital de patrocínio cultural em busca de novos projetos culturais voltados para crianças e adolescentes e vinculados às novas tecnologias através do programa de Arte e Tecnologia. A iniciativa tem por objetivo estimular a produção e difusão de projetos culturais e artistas, especialmente vinculados à cultura digital, inovadores em termos de linguagem, interatividade, criatividade ou forma de distribuição de seus conteúdos. As inscrições podem ser feitas até o dia 30 de junho de 2011. Clique aqui para mais informações.

Itaú Cultural – Rumos Artes Visuais 2011-2013, inscrições até 29 de maio de 2011.

Prémio Fernão Mendes Pinto, inscrições até 30 de maio de 2011.

Prêmio Vivaleitura 2011, inscrições até 20 de julho de 2011.

Fonte Teia Cultura Minas

A MODERNIZAÇÃO DA LEI DOS DIREITOS AUTORAIS

Etapa colaborativa para a finalização do Anteprojeto de Lei chega ao fim com seminário em Brasília

Encontro com a participação de representantes da sociedade civil, pesquisadores e juristas irá finalizar, na próxima semana, a etapa de sugestões para a elaboração do anteprojeto que modifica a Lei de Direitos Autorais. Promovido pelo Ministério da Cultura, o seminário A Modernização da Lei de Direitos Autorais: contribuições finais para o APL será realizado em 31 de maio e 1º de junho no auditório do Superior Tribunal de Justiça, em Brasília.
Durante esses dias, a equipe da Diretoria de Direitos Intelectuais do MinC ainda receberá contribuições para o texto (apesar de a data estipulada para o último dia de entrega ser 30 de maio).
A inscrição para o Seminário é gratuita e pode ser feita pela página www.cultura.gov.br, mediante o preenchimento do formulário de inscrição que deverá ser enviado pelo e-mail  direito.autoral@cultura.gov.br. As vagas serão garantidas por ordem de inscrição.

Fonte : Teia Cultural  Minas

SHOW DE DEXTER GRATUITO EM ARACAJU NESTE SABADÃO



Por conta de ser o primeiro show do rapper DEXTER no Nordeste a produção do evento resolveu abrir as portas, o show será totalmente GRATUITO. Acontece no mesmo bat local, neste sábadão, dia 28 de maio às 18h, na Praça dos Mercados, centro de Aracaju, no 2ºFim de Semana Hip Hop, evento em comemoração ao aniversário de quatro anos do programa Império Periférico da rádio Aperipê FM 104,9, realizado pela Nação Hip Hop Brasil.

Atenciosamente,

Ganso (Hot Black)
M12 Produções e Nação Hip Hop Brasil
(79) 8137-7013 – Marcão
(71) 9151-0631 – Dj Branco
(79)8827-5538 – Hot Black
E-mail: 
mensagenegra@hotmail.com
Blog: 
http://www.dexteremaracaju.blogspot.com/

Sessão Solene em comemoração ao Dia da África

 


Segunda-feira (06/06), 10h, Plenário Ulysses Guimarães, Câmara dos Deputados



Dilma determina solução para desastre ambiental em Santo Amaro

 
[Presidente do Cooperforte, José Rogaciário dos Santos (e); representante da Seppir, Renato Ferreira;  senador Paulo Paim (PT-RS); Assessor de Saúde Ambiental e do Ministério da Saúde, Guilherme Franco]A presidente da República, Dilma Rousseff, determinou na tarde desta quinta-feira (26) a seus assessores que tomem providências para resolver os problemas decorrentes da contaminação por chumbo na cidade baiana de Santo Amaro da Purificação. Conforme o gabinete do senador Walter Pinheiro (PT-BA), Dilma se sensibilizou ao receber do parlamentar, e de seu colega Paulo Paim (PT-RS), um dossiê que mostra o quadro dramático vivido pela população de Santo Amaro.
Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado, Paim coordenou pela manhã, uma audiência pública destinada a ouvir vítimas da tragédia, estudiosos e políticos ligados à região do Recôncavo Baiano. Todos foram unânimes em descrever os aspectos trágicos de um processo de contaminação que se iniciou ainda nos anos 60 e se desdobra até hoje: cidadãos doentes e marginalizados, crianças com deformações, águas e subsolo comprometidos por chumbo e outros metais.
Calcula-se que a população da cidade está em 80% atingida pelos resíduos deixados por uma mineradora francesa, o que levou o deputado federal Luiz Alberto (PT-BA) a comparar o acidente ao vazamento na usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia.
[senador Walter Pinheiro, primeiro à esquerda, em audiência na CDH - Foto: J. Freitas / Agência Senado]
Walter Pinheiro se disse tão chocado com um vídeo passado durante a reunião, ao ponto de desviar os olhos diante de algumas imagens. Ali mesmo anunciou, com o apoio de Paulo Paim, a intenção de levar a Dilma um dossiê sobre o desastre. À tarde, o documento foi repassado à presidente da República durante encontro com a bancada dos senadores do PT.
O dossiê entregue a Dilma inclui vídeo com imagens de pessoas acamadas e de recém-nascidos com graves deformações físicas. O senador Paim chegou a dizer que, em seus 65 anos de vida, nunca viu nada semelhante. Walter Pinheiro admitiu ter sido impactado pela contundência das imagens e que, por isso, evitou acompanhar todos os slides.
- São imagens que não dá para esquecer. Imaginem a situação de quem tem que lidar com isso no seu próprio corpo - exclamou. 
Santo Amaro é considerada a cidade mais poluída por chumbo no mundo, de acordo com estudos da Universidade Federal da Bahia e outras instituições. Por mais de três décadas, a Companhia Brasileira de Chumbo (Cobrac), subsidiária da empresa francesa Penarroya Oxyde, despejou na cidade 490 mil toneladas de rejeitos contaminados por esse e outros metais perigosos (cádmio, mercúrio e outros). O chumbo é associado ao saturnismo, doença que afina braços, provoca dores agudas por todo o corpo, causa impotência sexual nos homens, além de aborto nas mulheres ou malformações severas nos filhos nascidos.
Desativada em 1993, a fábrica deixou um histórico de poluição e doença ainda sem o devido enfrentamento, como ficou patente nos depoimentos de diversos expositores. Mas Walter Pinheiro e Paim, que preside a CDH, se comprometeram em encaminhar agora um conjunto de medidas para que a questão de Santo Amaro passe a ser uma prioridade do governo federal, com ações que devem envolver as áreas de meio ambiente, saúde, justiça e até mesmo esforços no campo das relações exteriores.
- Nem Santo Amaro nem o estado da Bahia têm condições de resolver o problema. É um legado nefasto que só a União tem condições de assumir - argumentou Walter Pinheiro.

Um "PAC pela vida"
O senador foi o propositor da audiência, junto com os colegas da bancada da Bahia, Lídice da Mata (PSB) e João Durval (PDR). Além da entrega do dossiê a Dilma, ele defendeu ainda um debate com o "núcleo central" do governo diante da magnitude dos problemas que precisam ser enfrentados. Sugeriu para o caso um "PAC pela vida", numa alusão ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que destaca os investimentos federais em infraestrutura. Depois, em entrevista, ele citou estudos que indicam a necessidade imediata de destinar cerca de R$ 300 milhões para as ações de descontaminação da cidade, atendimento em saúde, indenizações e aposentadorias especiais, entre outras.
Já para o senador Paim, se a Previdência já concedeu anistia a devedores, até mesmo para maus pagadores, não pode agora negar aposentadoria especial aos que estão contaminados e sem condições de trabalho. Paim é autor também de sugestão para que o Ministério das Relações Exteriores seja acionado para examinar possíveis responsabilidades do governo da França. O senador considerou a hipótese porque a Cobrac, a empresa contaminadora, que produzia lingotes de chumbo, pertencia à empresa francesa Penarroya Oxyde. A subsidiária foi depois incorporada ao Grupo Trevo e a multinacional Penarroya Oxide passou a fazer parte do Grupo Metaleurop.
- Quero que o presidente da França [Nicolas Sarkozy] venha ao Brasil e vá a Santo Amaro ver a realidade, e o Brasil tem igualmente de ver a situação. Não dá para manter a invisibilidade em relação a esses fatos - cobrou Paim.

Fonte : Gorette Brandão, Iara Farias Borges, Marco Reis e Nelson Oliveira / Agência Senado