terça-feira, 3 de dezembro de 2013

'Mulheres vitimas de estupros estão denunciando mais', afirma Ministra Eleonora

Eleonora Meniccuci alerta que o perigo pode ser maior dentro de casa. Fernando Gabeira discute sentimento de culpa de vítimas de violência sexual.


No programa deste domingo (1º), Fernando Gabeira abordou a questão da violência sexual contra mulheres. Segundo o Fórum Nacional de Segurança, pela primeira vez no Brasil, o número de estupros ultrapassou o de assassinatos. A  pesquisa constatou que houve 50 mil estupros contra 47 mil assassinatos.
A ministra da Secretaria de  Políticas para as Mulheres, Eleonora Meniccuci, alerta que o perigo pode ser maior dentro das casas do que propriamente nas ruas. Segundo ela, o número de notificações pode ter aumentado mais do que o número de estupros.
“Existia, até então, o estupro silencioso, aquela história do patriarcado: ‘em briga de marido e mulher, não se mete a colher’. Então, a mulher casa e acha que é obrigada a ter relações com o marido, mesmo não querendo naquele dia nem naquela hora. E isso é um estupro. Por outro lado, eu insisto: as mulheres estão denunciando mais. Isso significa que elas estão mais corajosas, perderam mais o medo e, sem dúvidas nenhuma, estão mais conscientes”, avalia a ministra.
O sentimento de culpa nas mulheres violentadas é comum. Contribui, para isso, a pressão social, expressa nas constantes afirmações de que a vítima provocou o estuprador.
“Ele falava que a culpa o tempo todo era eu, que desde que havia me visto não me tirava da cabeça. Ele falou que estava em casa bebendo e se drogando na intenção de fazer isso comigo. Mesmo eu pedindo, dizendo que estava grávida, ele não concordou em parar”, afirma uma mulher violentada que não quis se identificar.
Além das estruturas de apoio às mulheres, a informação pode ser uma ferramenta para reduzir os números. Saber, por exemplo, que não é necessário ficar esperando horas por um exame no Instituto Medico Legal e que basta ir ao hospital para evitar a hipótese do aborto já é um passo.
Fonte: G1

Nenhum comentário: