sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Ministério da Justiça pesquisa sobre mulheres na Segurança Pública

Uma pesquisa inédita começou a ser feita pelo Ministério da Justiça sobre a presença feminina nas instituições de segurança pública em todo o País. O objetivo é construir políticas de valorização profissional, saúde e qualidade de vida, segundo a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).
O estudo, cuja idéia é traçar um perfil de mulheres que integram as polícias Civil, Militar e Científica, além de bombeiros, é feito por meio de questionário via internet até o dia 23. O formulário deve ser preenchido em um único acesso e somente por profissionais do sexo feminino.
De acordo com a Senasp, as respostas são anônimas. Portanto, os participantes não serão identificados. E os resultados do trabalho serão transformados em publicação, que será divulgado no site do Ministério da Justiça.  

HISTÓRIA – A presença de mulheres nas polícias militares brasileiras é relativamente recente. Exceção feita ao Estado de São Paulo, que instituiu ainda na década de 50 um corpo feminino de guardas civis e o incorporou em 1970 aos quadros da Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP). 
Nas demais PMs, o ingresso das mulheres ocorreu somente a partir do final dos anos 1970 e início dos 1980, segundo boletim divulgado pelo Centro de Estudos de Segurança e Cidadania, divulgado em 2004.
A ideia era cobrir, na época, certa áreas de atuação em que o policiamento masculino, essencialmente repressivo, estaria encontrando dificuldades, como o trato com crianças abandonadas ou com mulheres e adolescentes autores de infrações.
Estima-se que hoje existam aproximadamente 8,5 mil mulheres nos quadros da Polícia Militar de São Paulo. Ministério da Justiça
 
Comunicação Social  SPM

Nenhum comentário: