domingo, 29 de abril de 2012

Angola assume vice-presidência africana da COMEDAF


Abuja - Angola foi eleita quinta-feira, em Abuja, (Nigéria) membro do comité diretor da Conferência dos Ministros de Educação de África (COMEDAF), ocupando a cadeira de segundo vice-presidente da agremiação, representando a região Austral do continente, a SADC.
 A eleição de Angola para esse cargo a nível da agremiação continental aconteceu no decurso dos trabalhos da V Conferência dos Ministros de Educação de África que vinha decorrendo, desde segunda-feira, 23, em Abuja, e que encerraram no final da tarde de sexta-feira, 27.
 Deste modo, por inerência de funções, Angola passa a ter assento na Associação de Desenvolvimento da Educação em África (ADEA), órgão executivo da COMEDAF, até 2014.
 O vice-ministro da Educação para o Ensino Técnico-Profissional, Narciso dos Santos Benedito, que participou dos trabalhos, em representação do titular da pasta, Mpinda Simão, mostrou-se satisfeito com a eleição e sublinhou ser um cargo que vai dar grande visibilidade ao executivo angolano.
 De acordo com suas palavras, um dos aspectos que concorreu para a eleição de Angola teve a ver com o fato de os membros da SADC registarem com agrado as melhorias no crescimento das infra-estruturas educacionais, nos últimos três anos, apenas superada pelas Ilhas Maurícias, o que lhe valeu a segunda vice-presidência.
Instado a justificar as vantagens do cargo alcançado, o vice-ministro da Educação para o ensino Técnico-Profissional disse que do ponto de vista político, é uma vitória da diplomacia angolana.
 Segundo o governante, a eleição de Angola para a vice-presidência da COMEDAF é uma demonstração dos esforços do executivo na melhoria da qualidade do ensino, bem como da qualidade dos seus professores.
Para ele, a partir de agora, as responsabilidades de todos os actores do sistema de educação e ensino no país, bem como do executivo angolano aumentam, na medida em que, passará a ter maior visibilidade a nível do continente africano.
A Nigéria assume a presidência da agremiação, os Camarões ocupam a primeira vice-presidência, enquanto a Argélia está com a terceira vice-presidência. O Quénia é o relator.
Cada um dos países eleitos para o comité director da COMEDAF vai responder pela respectiva região geográfica em que está inserido, a nível da Associação de Desenvolvimento de Educação de África (ADEA).
Além do vice-ministro da Educação, Narciso dos Santos Benedito, a delegação angolana integrou especialistas dos ministérios da Educação e do Ensino Superior, Ciência e Tecnologias.
Desde segunda-feira, altura que se iniciaram os trabalhos, os participantes discutiram e a aprovaram o relatório sobre a implementação do plano de acção da década da educação,  as técnicas da educação e formação vocacional.
Foi de igual forma aprovada a implementação da Universidade Pan-africana, com unidades nos Camarões, Quénia, Nigéria, Argélia e na África do Sul, a mobilidade docente, os relatórios das comunidades econômicas, entre outros.
 A nível da Universidade Pan-Africana, os Camarões, com a Universidade de Yaondé, que atende a região da África Central, acolhem os cursos de Ciências Sociais, Letras e Governação.
 A Nigéria, Universidade de Ibadan, ficou com os cursos de Ciências da Terra e da Vida (geo-ciências), a África do Sul, cuja universidade ainda não está definida e que vai atender a região da SADC, deve albergar o curso de Ciências Espaciais.
 A Universidade da Argélia, pela África do Norte, vai administrar os cursos de Ciências Hídricas e Energética, enquanto a Universidade Jomo Kenyatta, do Quénia, pela África Oriental, ficou com a responsabilidade pelos cursos de Agricultura, Ciências básicas, Tecnologias e Inovação.
Para o arranque da Universidade Pan-Africana, as candidaturas dos estudantes iniciam-se a 30 de Junho, devendo encerrar a 30 de Julho, com o arranque efectivo das aulas previstas para 30 de Setembro do corrente ano.
A reunião decorreu sob a égide da Conferência dos Ministros da Educação da União Africana (COMEDAF) com a participação dos parceiros de desenvolvimento, das agências de ajuda, dos órgãos especializados da Comissão da União Africana e de outros actores interessados na problemática do sector.
 A COMEDAF é um fórum bienal durante o qual os ministros da Educação dos 54 países membros da União Africana discutem o desenvolvimento continental e sub-regional e debruçam-se acerca dos meios para a sua melhoria através da educação.


Fonte: ANGOP

Nenhum comentário: