sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Falta de desejo afeta 48% das mulheres com disfunções sexuais

Pacientes queixam pela dificuldade de chegar ao orgasmo e dor intensa na relação sexual


Um levantamento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo aponta que a falta ou diminuição do desejo sexual afeta 48,5% das mulheres que procuram auxílio médico por conta de disfunções sexuais. 
A pesquisa feita com 455 pacientes, pelo Cresex (Centro de Referência e Especialização em Sexologia), revelou que a grande maioria dos distúrbios teve como pausa aspectos psicológicos e socioculturais.Além das alterações nos desejos sexuais, 18,2% das mulheres avaliadas apresentavam dificuldade de chegar ao orgasmo, 9,2% tinham dispareunia (dor intensa durante a relação sexual) e 6,9% mostrava inadequação sexual (níveis diferentes de desejo em relação ao parceiro).Entre as principais queixas das mulheres atendidas, estão também vaginismo, disfunção sexual generalizada e distúrbios de excitação. Do total dos distúrbios avaliados, apenas 13% tiveram causas predominantemente orgânicas, como alterações hormonais ou problemas originados por alguma doença.
Segundo a coordenadora do Cresex, Tânia das Graças Mauadie, “o tratamento das disfunções sexuais é realizado por meio de terapias comportamentais cognitivas”.
— Já o uso do medicamento só é indicado quando a causa orgânica dos problemas é identificada.
Entre as mulheres atendidas pelo serviço, 45% têm entre 40 e 55 anos, 36,4% entre 25 e 39 anos  e 7,9% estão na faixa dos 20 a 24 anos.
Fonte: R7

Nenhum comentário: