terça-feira, 2 de julho de 2013

Pesquisa avalia equilíbrio e força muscular em mulheres com osteoporose no início da menopausa

Depois de testes com 126 mulheres entre 2009 e 2010, uma pesquisa avaliou se aquelas que estavam no período inicial da menopausa e tinham osteoporose lombar apresentavam menos equilíbrio ou força muscular na comparação com pessoas na mesma faixa etária (entre 55 a 65 anos) que não desenvolveram a doença. O resultado é que, no início da menopausa, as mulheres não têm alteração desses fatores, o que quer dizer que, se mantiverem o equilíbrio e a força, há menos risco de terem quedas ou fraturas no futuro.

O autor da pesquisa, Guilherme Carlos Brech, ortopedista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, lembra que mulheres com osteoporose apresentam mais risco de quedas e fraturas. “Mais exercícios no início da menopausa vão ajudar a fortalecer os músculos e estabelecer maior firmeza e força, com menos perda de equilíbrio e quedas. Em mulheres com osteoporose isso seria ainda pior”, disse.
De acordo com o médico, a análise partiu de um estudo no qual foram comparados dois grupos de 15 mulheres cada. Em um deles, as mulheres sofriam de osteoporose e no outro, não. Na análise principal, foram avaliadas 126 pacientes que viviam no período pós-menopausa, com idade entre 55 e 65 anos, atendidas no Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) e no Instituto Central do Hospital das Clínicas.
As participantes da análise responderam a questionários sobre o nível de atividade física e foram submetidas a uma avaliação do equilíbrio postural, força muscular de joelho, nível de vitamina D, entre outros pontos.
Mesmo para mulheres com osteoporose, a prática de exercícios se aplica. “Sabemos que em uma fase mais avançada da menopausa, as mulheres com osteoporose têm uma queda da força e do equilíbrio. Isso ainda não aparece no início da menopausa, então se for mantida uma rotina de exercícios desde o início dessa fase possivelmente no decorrer [da menopausa] não vão ter esse risco de queda aumentado”, explicou Brech.
O ortopedista ressaltou que outros estudos estão sendo feitos para aprofundar as questões de força muscular e equilíbrio associados à osteoporose. “Queremos entender por que em uma fase tardia da menopausa elas têm essa perda de equilíbrio e força. Se é pela falta de atividade física ou por outro tipo de incapacidade, por medo de sair na rua e quebrar um osso.”

Fonte: EBC

Nenhum comentário: