quinta-feira, 29 de junho de 2017

Kênia Maria e Érico Braz , Ganham Ação Contra Racismo em Companhia Área

 por Mônica Aguiar 

O casal de atores Kenia Maria e Érico Brás ganhou, em primeira instância, um processo que moveu contra a companhia área Avianca, por racismo e danos morais. A companhia foi condenada a indenizá-los em R$ 35 mil por causa do episódio de março de 2016.

O fato aconteceu durante um voo que saiu de Salvador com destino ao Rio de Janeiro.  Érico Brás e Kenia Maria foram expulsos da aeronave pelo comandante,  que além promover  insultos,  acionou a polícia federal alegando que o casal poderia ser uma ameaça para o voo.

"Achei uma decisão muito justa e até representativa para ao nosso país. É importante ressaltar que ganhamos essa causa porque tínhamos conhecimento da lei e por isso temos que falar cada vez mais sobre os direitos e deveres de cada Cidadaão . falou Érico

Mesmo  após a orientação do comissário a bordo para que kenia Maria, colocasse  sua bagagem de mãos embaixo da poltrona, o Comandante achou no direto de insultar e tomar atitudes injustificadas, nas rotinas cotidianas  de segurança de voos que ocorrem   independente da escolha da companhia aérea, procedendo com a uma ação racista, que baseou a suspeita de ameaças a partir da cor do casal .

Na sentença, a Avianca afirma que o comandante retirou o ator do voo para não ocasionar mais atrasos e prejudicar os demais passageiros. A empresa também sustenta que não há prova de dano nos pertences de Kenia e que a retirada deles do voo não constitui racismo. Porém,  em protesto, sete passageiros se recusaram a seguir viagem em apoio ao casal e também desceram do voo.


"Revelo que sinto um alívio pela humilhação que eu passei. Eu levo o debate racial para escolas, universidades, rede sociais, TV e revistas, mas quando encaro o racismo de frente, confesso que ainda fico apavorada, muda e não o seguro a vontade de chorar. Não vou me adaptar nunca!", desabafou Kenia, que também é defensora da ONU Mulheres pelos direitos das mulheres negras.

Kênia Maria é escritora e atriz , ganhou título neste ano de primeira defensora dos direitos das mulheres negras no mundo, concedido pela ONU Mulheres do Brasil. A nomeação coloca a artista no grupo de mulheres públicas em favor da igualdade de gênero no país e, como ela mesma define, é um reconhecimento de sua história. Em parceria com o marido Érico Brás — publica vídeos que, por meio da história de uma família, questiona a ausência dos negros na publicidade brasileira.

A ONU Mulheres abriu a frente para  Mulheres Negras Rumo a um Planeta 50-50 em 2030, onde tende a  priorizar e atender a urgência de defesa e visibilidade das mulheres negra, na  década dos afrodescendentes, que também faz parte da agenda da ONU.


Fonte:Uol/correiobrasiliense

Nenhum comentário: