terça-feira, 15 de setembro de 2015

Parlamentar Dadeville, no Alabama, quer transformar a utilização de peça de roupa comum "minissaias e shortinhos" em crime


ReproduçãoAlgumas das roupas mais populares entre as mulheres podem se transformar em peças proibidas. E não é algo figurativo, é literal e poderá ser garantido por lei. O caso, que causa polêmica nos EUA, está sendo debatido em .
A polêmica lei visa proibir a utilização de minissaias e shortinhos por mulheres. Isso mesmo. O projeto criado pela vereadora local Stephanie Kelley afirma que esse tipo de roupa é “inapropriado” para ser utilizado na frente de outras pessoas.
A questão é que o projeto da vereadora tem ganho bastante força entre outros parlamentares e preocupa o resto da sociedade. Pautada em cima do “respeito”, a lei é apontada por seus críticos como extremamente machista por proibir apenas as mulheres de usar determinado tipo de roupa.
A questão da liberdade de escolha é outra pauta que incomoda a população local. Sobre isso, os vereadores que defendem a proibição afirmam que “quem vai respeitar a mulher se ela não respeita a si mesma?”. Tal colocação foi alvo de diversas críticas da imprensa local, novamente por seu teor machista.
A bancada conservadora, agora, se une para ter votos suficientes para fazer a lei passar. A cruzada moralista, porém, deve esbarrar na falta de adeptos quando for ser votada. A população como um todo se coloca em grande parte contrária à medida, lembrando outra polêmica recente.
Antes de sua cruzada para barrar as minissaias e o shortinhos, a vereadora Stephanie já havia sido centro de outra polêmica envolvendo roupas. Recentemente ela viu ser barrada sua proposta que previa proibição de homens utilizando shorts ou calças que deixem suas cuecas à mostra.

Fonte e texto : Yahoo
Foto : Yahoo

Nenhum comentário: