segunda-feira, 12 de março de 2012

Guia alerta para as várias convenções internacionais que garantem o direito das mulheres de participar da vida política, no interior dos partidos políticos

         Publicação dirige-se, principalmente, aos líderes de partidos políticos, organizações da sociedade civil e ativistas que atuam na causa da igualdade de gênero.

Guia sugere ações para promover a participação política das mulheresUm guia produzido pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e pelo National Democratic Institute (Instituto Nacional Democrático) aponta aos partidos políticos caminhos para que a pouca representatividade das mulheres nos altos escalões políticos e no processo de tomada de decisão seja corrigida. O caminho a seguir, segundo o guia, é apoiar a participação das mulheres no processo eleitoral.
Com o título ‘Empoderando as Mulheres para Partidos Políticos mais Fortes’, a publicação busca promover a participação política das mulheres. O guia identifica casos de sucesso que mostram como os partidos políticos podem promover a participação das mulheres nas tomadas de decisões em todos os níveis. A publicação dirige-se, principalmente, aos líderes de partidos políticos, organizações da sociedade civil e ativistas que atuam na causa da igualdade de gênero.
“Com menos de 20% dos assentos parlamentares do mundo ocupados por mulheres, é claro que os partidos políticos precisam fazer mais – e devem ser incentivados nesses esforços – para apoiar a capacitação política das mulheres”, disse Helen Clark, Administradora do PNUD, durante a 56ª Comissão sobre o Estatuto das Mulheres, realizada na última semana de fevereiro em Nova Iorque.
O Brasil foi cobrado pelos peritos que fazem parte do Comitê das Nações Unidas para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher (CEDAW) pela baixa proporção de mulheres ocupando cadeiras no Congresso Nacional. Apesar de o país ter hoje mulheres em pontos chaves da administração federal, a atual bancada feminina na Câmara dos Deputados representa apenas 8,77% do total da Casa (45 deputadas). No Senado, apenas 12 das 81 cadeiras são ocupadas por mulheres.
O guia alerta que embora várias convenções internacionais garantam o direito das mulheres de participar da vida política, no interior dos partidos políticos elas tendem a ser sub-representadas em posições de poder ou acabam atuando em papéis coadjuvantes. Outra constatação é a de que a falta de acesso a redes estabelecidas de influência e a limitação de recursos são alguns fatores que ajudam a entender porque a proporção de mulheres nos altos escalões dos partidos políticos têm se mantido bem abaixo da participação dos homens em todo o mundo.
O guia cita vinte exemplos de países que tomaram medidas positivas para alterar esse cenário, aumentar a participação política das mulheres e a inclusão no processo eleitoral.
Para ler o guia em espanhol, clique



Para ler o guia em inglês, clique



Fonte : SPM

Nenhum comentário: