terça-feira, 23 de setembro de 2014

Mulher - Avanços e Desafios II !

por Mônica Aguiar  

A mulher está cada vez mais conquistando seu espaço no ambiente profissional e participando pela primeira fez de forma definitiva das mudanças ocorridas nas instâncias de Poderes.

As habilidades e características femininas começam a ser valorizadas pela sociedade, deixando a mulher, aos poucos de ser uma mera coadjuvante em determinados segmentos sociais e profissionais, iniciando acesso a posições estratégicas.

Em relação ao trabalho, tais mudanças são ainda mais visíveis. 
No processo de reestruturação produtiva e com o crescente oferta no mercado de trabalho, a mão-de-obra feminina tem sido cada vez mais aceita e solicitada. O Crescimento da participação feminina no mercado de trabalho é intenso e diversificado, não retrocedeu nos últimos anos. 

As mulheres com formação técnica estão em maioria mercado de trabalho formal que inclui indústria, construção, comércio, serviços e agropecuária. A participação, no entanto, varia com a área, pois a grande escala ainda permanece  condicionada no setor de serviços.  

As mulheres têm hoje maior participação, não só no mercado de trabalho, como também nas esferas econômicas,  entre os empreendedores  já representam praticamente a metade neste setor,  sentem mais à vontade e escolhem de forma mais livre com quem e como querem estabelecer suas relações conjugais.

Na realidade, as mulheres foram da esfera doméstica à  diferentes funções na sociedade moderna, mas as conquistas sociais têm sido alcançadas e assimiladas de forma diferente,  variam de acordo com a classe social, o grau de escolaridade e a cor. 

A possibilidade real de superação das  desigualdades entre homens e mulheres que existem na sociedade atual e na família com as mais diferentes esferas sociais é mérito de uma minoria.

Um desafio importante, é poder compreender a amplitude dos avanços obtidos para as   mulheres e ao mesmo tempo conviver com valores patriarcais e eurocêntricos ainda existentes  mantidos por homens que ocupam cargos de poder e prestígio. 

O contingente feminino tem sido sujeito de limitações promovida por estes senhores, que  fazem questão de mascarar,  velar e fomentar dificuldades que impedem o acesso de cargos estratégicos,  representações de poderes, ascensão na carreira, especialmente no que se refere à dinâmica de conciliação das demandas familiar e profissional.

A mulher,  ao longo dos anos vem desenvolvendo estratégias para lidar com os problemas estruturais e ideológicos,  na jornada de trabalho, no lar e fora dele. 

A participação das mulheres na construção da sociedade, justa e verdadeiramente equilibrada, passa a não ser somente um desejo de um grupo ou das entidades feministas e dos movimentos sociais,  mas individualmente das mulheres, que começam a desejar e desenhar um novo papel, outras possibilidades, produzindo uma nova forma de conviver com os homens, ao mesmo tempo rompendo com valores e com mazelas que as oprimem e segregam.

A prática do racismo institucionalizado e velado promovido em maioria por homens,  vítima cotidianamente a mulher negra, pois a mantêm na base da pirâmide salarial, pagando mais impostos, estando em maioria entre os 10% dos mais pobres.
A cor da pele ainda é o que classifica o potencial educacional e político das mulheres, dificulta acesso as oportunidades e reserva direitos.

O desafio e  aguardar neste processo a evolução da ampla maioria dos homens ao ponto que eles entendam que desejar novas possibilidades, a liberdade, a oportunidade e igualdade fara com que o as pessoas se torne melhor de conviver, de sobreviver , livre da violência.


Um comentário:

Anônimo disse...

Parabens