segunda-feira, 25 de julho de 2016

25 de julho : Mulheres Negras em Destaque

Por Monica Aguiar 

Acontecera nesta semana dia 28, a  3º edição do  Destaque Mulher Negra,  homenagem as mulheres negras brasileiras. 

A Realização é do Fórum de Mulheres Negras de Minas Gerais, através do Centro de Referência da Cultura Negra de Venda Nova- ( CERCUNVN), Coletivo de Entidades Negras de Minas (CENMG) e Beleza Negra da cidade de Montes Claros e nesta III edição, propõem  ressaltar o 25 de julho dia da mulher negra, homenageando mulheres negras de Minas e do Brasil, que atuam em diversas frentes ou categorias.

O foco é dar  visibilidade para temas como às desigualdades raciais, falta de oportunidades, diferenças salariais,  estereótipos e violência ainda existente,  proporcionando interação e conversas,  entre diversas  mulheres que atuam  em vários setores e categorias da sociedade.

Serão homenageadas  60 mulheres de vários Estados do Brasil e  municípios de Minas Gerais. 

Com a presença confirmada de Ivonete Carvalho, de Porto Alegre, uma das homenageadas,   sera  feita homenagem a ex ministra Luíza Bairros , falecida ultimo dia 12 de junho  .  

O dia nacional da Mulher Negra e Tereza Benguela contara com a presença da representante do Estado de Tereza Benguela,   Isabel Farias do Mato Grosso, também homenageada. 

Arisia bairros de Alagoas, Denise Viola e Gloria Ramos do Rio de Janeiro,  professora Genilse de Pernambuco, são presenças confirmadas para a homenagem . 

A primeira e segunda edição foi marcada pelas homenagens realizada as principais lideranças que pautam as especificidades das mulheres negras, organizadas em diversas entidades do estado e nacional no movimento negro e leitura de manifesto estadual com várias reivindicações aos setores do poder publico.

As mulheres  negras correspondem a 53% dos brasileiros. Mesmo sendo a maioria, está sub-representada no Legislativo, Executivo, Judiciário, na mídia e em outras esferas. Em se tratando do gênero, o abismo é ainda maior. Apesar da baixa representatividade de Mulheres Negras na política e em cargos de Poder e de decisão, cada ascensão deve ser comemorada como reconhecimento.

A data – A Lei nº 12.987/2014, foi sancionado pela presidenta Dilma Rousseff, como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra. Tereza de Benguela foi uma líder quilombola, viveu durante o século 18. Com a morte do companheiro, Tereza se tornou a rainha do quilombo, e, sob sua liderança, a comunidade negra e indígena resistiu à escravidão por duas décadas, sobrevivendo até 1770, quando o quilombo foi destruído pelas forças de Luiz Pinto de Souza Coutinho e a população (79 negros e 30 índios), morta ou aprisionada.

Nenhum comentário: