quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Os lírios dos Campos Choram

Por Mônica Aguiar 
Entre idas e vindas, afetos e desafetos, brisas e tempestades, os lírios sobrevivem em vários lugares!
Sobreviver às tormentas provocadas por fenômenos naturais é fertilizante perante coexistir com o retrocesso provocado por ervas daninha que cotam caule e arremessam venenos provocando muita dor. 

Longa foi caminhada mesmo sem poder caminhar nos tempos que os lírios resistiam e floresciam sem chorar.
Quem já viu um lírio chorar?

Dos caminhos percorridos, poder vivenciar a fase do reflorescimento e as sementes que caiam ou as que de alguma forma apenas desapareciam, cultivar sempre as esperanças dos que já não resistiam a tantos temporais.

Sugar o leite da terra e ao mesmo tempo distribuir o néctar, o perfume extraído das estrelas que com seu brilho fortalecem e renovavam as esperanças de sua espécie. A certeza do seu ciclo são as novas sementes mesmo diante de tantos desafios, tantos caminhos, campos e florestas, um mosaico do mosaico. Mas quem quer saber? A quem interessa?

Hoje realmente não são os mesmo lírios, estão velhos e cansados. Mas não se precipitem tanto, estes lírios por mais frágeis que pareçam estar sempre encontram forças e ajudam na germinação de novas flores resistentes. As experiências adquiridas com as transformações fez a suficiente forte para renascer e multiplicar.


Aguardemos 2017!

Nenhum comentário: