terça-feira, 21 de junho de 2016

Meninas Participaram da Cerimônia de Premiação dos Jogos Olímpicos Rio 2016

Meninas do projeto “Uma Vitória Leva à Outra”, uma parceria da ONU Mulheres com o Comitê Olímpico Internacional (COI), participaram da Cerimônia de Premiação dos Jogos Olímpicos Rio 2016

As meninas do projeto “Uma Vitória Leva à Outra”, uma parceria da ONU Mulheres com o Comitê Olímpico Internacional (COI), participaram da Cerimônia de Premiação dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Durante o evento, realizado terça-feira (14/6) no Parque Olímpico, elas puderam ver de perto a medalha olímpica e conversar o presidente do COI, Thomas Bach.
O projeto, presente em áreas vulneráveis do Rio de Janeiro, tem como objetivo criar espaços seguros para que meninas possam praticar esportes e desenvolver habilidades para suas vidas. 
Atualmente, o programa acontece no município do Rio de Janeiro e vai beneficiar 2.500 meninas. A intenção é que o programa seja expandido para outras cidades e estados brasileiros a partir do segundo semestre de 2016.
No Rio de Janeiro, o programa conta ainda com a parceria das ONGs Women Win, Instituto Bola Pra Frente e Instituto Agenda. E tem o apoio local da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer; Secretaria Municipal de Educação; Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.
Meninas e esporte:Na puberdade, em função das pressões sociais e dos estereótipos de gênero, a autoestima das meninas tende a cair duas vezes mais do que a dos meninos, e 49% das meninas abandonam a prática esportiva, porcentagem seis vezes maior em comparação com os meninos.
Nessa fase da vida, os estereótipos de gênero e a linha que divide o que é considerado adequado às meninas e aos meninos começa a ficar muito mais evidente. Enquanto as meninas são submetidas a um controle e uma vigilância muito mais severa sobre seu corpo e sexualidade, há também uma objetificação muito maior de seus corpos pela sociedade e pelas diversas representações midiáticas. É claro que os meninos também passam por uma série de pressões associadas a modelos perversos de masculinidade e a entrada na adolescência pode ser um processo muito doloroso para eles também. No entanto, em geral, nessa fase, eles são estimulados a ocupar o espaço público e desenvolver suas habilidades de liderança, autonomia e convívio social. Para os meninos, este é um momento de conquista de poder, enquanto as meninas começam a ser cada vez mais limitadas e privadas dessa ocupação e expansão.
Por meio da prática esportiva, as meninas adquirem uma série de habilidades transferíveis para outras áreas da vida, como o ambiente de trabalho e as relações humanas. Por exemplo: aprendem a ter disciplina, trabalhar em equipe, respeitar as regras e jogar de forma justa, manter o foco e a persistência para alcançar metas bem estabelecidas etc. Em outras palavras, seus ganhos “em campo” possibilitam ganhos “fora de campo”.
Aliar a prática de esportes à criação de espaços seguros é fundamental para que as meninas possam se conhecer e se desenvolver livres dos preconceitos de gênero. Nesse sentido, o esporte potencializa o desenvolvimento de autoestima, liderança, conhecimento sobre o próprio corpo e sobre direitos. Investir na liderança de meninas e mulheres jovens por meio dos esportes é uma metodologia efetiva para eliminar as desigualdades de gênero e modificar percepções, atitudes e comportamentos que causam ou justificam a violência.

Fonte, texto e fotos: ONU Mulheres

Nenhum comentário: