terça-feira, 3 de novembro de 2015

Aplicativo para Monitorar Mensagens de Racismo nas Redes Sociais

Por Mônica Aguiar 

Aplicativo será lançado este ano e rastreará postagens nas redes sociais que reproduzam mensagens de racismo, intolerância e que promovam a violência identificando os responsáveis.
  
A criação do aplicativo é  de responsabilidade do Laboratório de Estudos em Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES),   permitirá por meio de filtros, rastrear mensagens de ódio identificando os usuários responsávei pela prática do crime . 
Batizado com nome “Monitor de Direitos Humanos”,   buscará palavras-chaves em conversas que estimulem violência sexual contra mulheres, racismo e discriminação contra negros, índios, imigrantes, gays, lésbicas, travestis e transexuais. Os dados ficarão disponíveis online.

A atriz Taís Araújo foi alvo de mensagens racistas nas redes sociais.  A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, por meio de nota,  informou ontem  (2), que a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) vai instaurar inquérito para apurar o crime de racismo. A atriz será ouvida e os autores identificados serão intimados a depor. 

Resultado de imagem para racismo é crime denuncie
O racismo é crime no Brasil e, previsto no art. 20 da Lei 7.716/1989, que trata da  prática de induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional pode ser condenado a reclusão de um a três anos e pagamento de multa.(Redação dada pela Lei nº 9.459, de 15/05/97).
Antes de qualquer distinção acerca do presente delito com aquele que dispõe o art. 140, §3°, importante frisar que o delito em comento é inafiançável e imprescritível, conforme nossa Carta Magna:Art. 5° / XLII – a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei.

Resultado de imagem para racismo é crime denuncieSaiba onde denunciar crimes cibernéticos:
Site da Safernet: o site recolhe denúncias anôminas relacionadas a crimes de pornografia infantil, racismo, apologia e incitação a crimes contra a vida.
Canal do Cidadão do MPF: o Ministério Público Federal recebe denúncias de diferentes tipos. A pessoa pode optar por manter os seus dados sigilosos ou não. A Procuradoria-Geral da República recomenda aos cidadãos apresentarem o maior número de provas para que o processo possa ter mais agilidade.
Disque 100: o canal recebe denúncias de abuso ou violência sexual. O serviço é coordenado pelo Ministério das Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. O Disque 100 funciona 24 horas por dia. As ligações são gratuitas e podem ser feitas de qualquer local do Brasil. A denúncia é anônima e as demandas são encaminhadas para as autoridades competentes.

O que devo fazer quando me deparar com um crime cibernético?

1) Guarde todas as provas e indícios possíveis
2) Tire fotos das denúncias, "print screen" e imprima o material
3) Registre as denúncias com o maior número de detalhes
4) Não compartilhe ou replique comentários ofensivos ou que incitem ao crime
5) Crie uma rede de proteção às crianças vítimas. Não permita que ela fique exposta aos comentários ofensivos nas redes sociais


Fontes: EBC / PHMP
Fotos : internet 


Nenhum comentário: