quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Nota de repúdio à Polícia Militar de Minas Gerais

15 5 11 banner nota oficial
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais repudia a violência praticada pela Polícia Militar na noite desta quarta-feira, 12 de agosto, durante manifestação no Centro de Belo Horizonte. Com desproporcional uso da força, os militares atacaram com bombas e balas de borracha jovens e adolescentes, que seguiam em ato pacífico contra o aumento das passagens no transporte coletivo.

Além de dezenas de jovens feridos, jornalistas que trabalhavam na cobertura também foram atacados. O repórter fotográfico do jornal O Tempo, Denilton Dias, foi baleado pelos policiais na perna, mesmo depois de apresentar sua identificação profissional. Depois da dispersão,  dezenas de manifestantes foram acuados e presos dentro do Hotel Sol e, novamente, a liberdade de imprensa foi atacada, já que os militares impediram os jornalistas de fazerem a cobertura jornalística naquele local.
O Sindicato dos Jornalistas não aceita a violência contra a imprensa livre. O ataque e intimidação a jornalistas é temerário no Estado democrático de direito, tendo em vista a necessidade de preservação da liberdade de expressão e das garantias constitucionais da atividade jornalística. Assim, o Sindicato exige uma resposta do Governo de Minas sobre o atentado contra a imprensa, assim como espera esclarecimentos sobre as demais denúncias de prisões arbitrárias e violações de Direitos Humanos durante a manifestação.
O Sindicato desde já coloca-se à disposição, com todo o suporte institucional e jurídico necessário, dos repórteres e demais profissionais de imprensa que eventualmente tenham sido impedidos de exercer a sua função durante a manifestação.
Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais

Nenhum comentário: