quarta-feira, 3 de junho de 2015

CPI da Violência Contra Jovens Negros e Pobres é Realizada em Todo Brasil !

Por Mônica Aguiar 
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que investiga a violência contra jovens negros e pobres realiza várias  audiências  para debater as violações de direitos humanos e   ouvir relatos de integrantes das comunidades locais. Representantes de movimentos sociais, de expressão nacional que trabalham com a questão da violência nas comunidades contra jovens negros tem participado ativamente das audiências pontuando o racismo que ainda mata . 

O presidente da CPI, deputado Reginaldo Lopes (PT/MG), ressalta o compromisso da comissão com políticas públicas para prevenir a sociedade e reduzir o número de homicídios no Brasil:  "Queremos ouvir as lideranças familiares e as vítimas de homicídio ou de violação de direitos humanos, além de proposições, e trazer esses depoimentos para o nosso relatório. "Um dos objetivos da CPI é apresentar um plano nacional de enfrentamento a altas taxas de homicídios, propondo um conjunto de ações para que, em dez anos, os índices de assassinatos caiam. A CPI vai apresentar uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) pedindo a criação de um sistema integrado de segurança pública entre municípios, Estados e a União. Queremos tirar o genocídio de jovens negros da invisibilidade, pois há um silêncio na sociedade sobre isso,  não podemos aceitar o que está acontecendo hoje, são quase 60 mil mortes por ano, sendo 92% do sexo masculino, 77 % negros e pobres. Nós estamos vivendo um genocídio e, portanto, é importante termos ações bem específicas, bem focalizadas para combater essa violência". Afirma.

Segundo dados da Secretaria  Políticas de Promoção da Igualdade Racial  o homicídio é a principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, em sua maioria negros e moradores de periferias. O estudo "Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial 2014", realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em parceria com a Unesco, aponta que o risco de um jovem negro ser assassinado no Brasil tem aumentado e supera em 2,5 vezes a possibilidade de um jovem branco ser vítima de homicídio. O estudo apontou ainda que a taxa de jovens negros assassinados por 100 mil habitantes subiu de 60,5, em 2007, para 70,8, em 2012. Dos 60 mil homicídios anuais no Brasil, 80% têm como vítimas jovens negros. O relatório também apresenta um indicador inédito, o Índice de Vulnerabilidade Juvenil - Violência e Desigualdade Racial, medido em uma escala que vai de 0 a 1. O Espírito Santo é o sexto do país em que os jovens são mais vulneráveis, com coeficiente de 0,496, o que é considerada alta vulnerabilidade, sendo o Estado da Região Sudeste em que os jovens são mais vulneráveis.

A CPI da Violência contra Jovens Negros e Pobres foi constituída no dia 20 de março deste ano, com objetivo de apurar as causas, razões, conseqüências, custos sociais e econômicos da violência, morte e desaparecimento de jovens negros e pobres no Brasil. Os integrantes da CPI já estiveram nos estados da Bahia , Rio de Janeiro, Espirito Santo,  Alagoas, São Paulo, Rio Grande do Sul, Rondônia, Pará, Paraíba, Minas Gerais , Maceió, dentre outras atividades que dispõem em prol da oitiva .

Nenhum comentário: