segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Rio apresenta eventos em homenagem ao mês da Consciência Negra

Confira lista com atividades que celebram a cultura de origem afro e todos os tons e sons .

O grito forte dos Palmares corre terra, céus e mares — como dizia o clássico ‘Kizomba, a Festa da Raça’, samba de 1988 da Unidos de Vila Isabel em homenagem ao líder negro Zumbi, cuja morte é lembrada quinta-feira, Dia da Consciência Negra. A cultura que vem da África mistura-se com as de outros países e encontra solo fértil no Rio, numa festa da inclusão que culmina no dia 20, mas dura todo o mês, com uma série de peças, filmes, shows e debates que ocupam a cidade. 
“Aqui, a cultura afrodescendente vai a todo lugar e passa por todo tipo de mistura”, festeja o sambista Marquinhos de Oswaldo Cruz. Ele leva hoje a Feira das Yabás pela primeira vez à Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, para celebrar a gastronomia e a cultura de origem afro. “Lá em Madureira e Oswaldo Cruz, onde fui criado, a população era predominantemente negra. Mas convivíamos com outros grupos que lá eram minorias: judeus, portugueses, italianos. O samba ‘Quitandeiro’, do Paulo da Portela e Monarco, falava de macarronada!”
Arlindo Cruz sentencia que só o dia 20 é pouco para a cultura negra. “Ela tem que ser comemorada todos os dias! Quando se combate cada ato de racismo ou de intolerância religiosa”, diz o sambista. No próximo domingo, ele festeja a data na Quinta da Boa Vista, às 17h, e depois segue para o seu Centro Cultural, em Realengo, para cantar com o filho Arlindo Neto e celebrar os 199 anos do bairro. “O Brasil é um país misturado. Temos que ter uma consciência mestiça!”, exclama.
Não é só o samba que batuca na festa. Na Lapa, um dos berços do ritmo, eventos black trazem o funk-rock do nigeriano Keziah Jones (ao Circo Voador, dia 19) e o reggae da lenda viva Bunny Wailer, com abertura do Cidade Negra (à Fundição Progresso, dia 20). E todo tipo de música enraizada na África pode ser inscrita na 3ª edição do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-Brasileiras, realizado pelo Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (Cadon).
O cinema negro ganha duas grandes mostras. ‘Zózimo Bulbul — Uma Alma Carioca’ traz fotos e filmes do cineasta e ator (1937-2013) de terça até 18 de janeiro no Centro Cultural Justiça Federal. E 24 filmes de 12 países africanos surgem na tela da Caixa Cultural no ciclo ‘Uhuru — Mostra de Cinema Africano Pós-Independência’, em cartaz até o próximo domingo. A inclusão também está na TV Brasil de segunda a sexta às 23h, com a novela angolana ‘Windeck’, que acaba de estrear e é pioneira na importação da teledramaturgia africana.
Além disso, há verdadeiras aulas de história negra rolando pelo Rio. O Grupo Cultural Jongo da Serrinha traz o show ‘Vida ao Jongo’ na quarta, no Teatro Carlos Gomes. E até 29 de novembro é encenada, no Centro Cultural Ação da Cidadania, a peça ‘André Rebouças, o Engenheiro Negro da Liberdade’, de José Miguel da Trindade e André Luiz Câmara. “O carioca sabe que o túnel que une as zonas Sul e Norte homenageia André e seu irmão Antônio. Mas não conhece a história deles”, diz Trindade. 


PROGRAME-SE

3º PRÊMIO NACIONAL DE EXPRESSÕES CULTURAIS AFRO-BRASILEIRAS. A premiação vai acontecer somente em dezembro, mas as inscrições podem ser feitas somente até amanhã (em teatro, música, dança e artes visuais) no site
www.premioafro.org.
ANDRÉ REBOUÇAS, O ENGENHEIRO DA LIBERDADE. Peça sobre a vida do abolicionista. Centro Cultural Ação da Cidadania. Avenida Barão de Tefé 75, Centro (2233-7460). De quinta a sábado, às 19h. Grátis. 12 anos. Até 29 de novembro.
ARLINDO CRUZ. Na Semana da Consciência Negra do Sesc, ele se apresenta na Quinta da Boa Vista, domingo (23), às 17h. Grátis. Livre. Em seguida, participa da roda de samba do filho Arlindo Neto no Espaço Cultural Arlindo Cruz. Rua Joaquim Inácio s/nº, Realengo (3242-9901). Domingo, às 18h. R$ 20. Livre.
BUNNY WAILER. Show do cantor de reggae, com abertura do Cidade Negra. Fundição Progresso. Rua dos Arcos 24, Lapa (3212-0800). Quinta, às 22h. R$ 80 (estudantes e maiores de 60 anos pagam meia). 18 anos.
FEIRA DAS YABÁS . Roda de samba e gastronomia afro-brasileira. Cidade das Artes. Avenida das Américas 5.300, Barra da Tijuca (3325-0102). Hoje, das 15h às 21h. Grátis. Livre. 
KEZIAH JONES. Show do guitarrista nigeriano. Circo Voador. Rua dos Arcos s/nº, Lapa (2533-0354). Quarta, às 22h. De R$ 100 a R$ 130. 18 anos.

NO PALCO DA VIDA. O grupo de teatro promove evento com vídeos e debates no Centro Cultural Chica Xavier. Rua Uranos 1.363, Olaria (3885-7593). Segunda, terça e domingo (23), às 13h.
UHURU — MOSTRA DE CINEMA AFRICANO PÓS-INDEPENDÊNCIA. São 24 filmes de 12 países. Caixa Cultural. Avenida Almirante Barroso 25, Centro (3980-3815). De quinta a domingo, a partir das 14h. R$ 4. Até 23 de novembro.
VIDA AO JONGO. Show do Grupo Cultural Jongo da Serrinha. Teatro Carlos Gomes. Praça Tiradentes, Centro (2224-3602). R$ 20. Quinta, às 20h. Livre.
WINDECK. Novela angolana exibida pela TV Brasil. De segunda a sexta, às 23h.
ZÓZIMO BULBUL — UMA ALMA CARIOCA. Fotos e filmes do cineasta carioca. Centro Cultural Justiça Federal. Avenida Rio Branco 241, Cinelândia (3261-2550). De terça a domingo, de meio-dia às 19h. Grátis. Livre. Até 18 de janeiro.

Fonte: Odia

Nenhum comentário: