segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Estão abertas as inscrições para o ProÁfrica .

Projetos que reforcem a segurança alimentar dos africanos podem receber recursos brasileiros Foto:  Kate Holt/dfataustralianaid/Flickr
Os projetos devem priorizar áreas como segurança alimentar e saúde pública. Os selecionados podem receber financiamento de até R$ 2 milhões.


Você tem um projeto de pesquisa científica, tecnológica ou de inovação que possa ser executado em um país africano? Essa pode ser a chance de colocá-lo em prática. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Brasil (CNPq) abriu chamada pública para o Programa de Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação com países da África (ProÁfrica).
Os projetos selecionados receberão investimentos de um pouco mais de US$ 777 mil (R$ 2 milhões). O dinheiro é proveniente dos Fundos Setoriais que garantem investimentos no setor de pesquisa científica e tecnológica do Brasil. Para participar, o responsável pela apresentação da proposta deve ser brasileiro ou estrangeiro com visto permanente e residente no país. Além disso, é necessário ter o título de doutor e currículo cadastrado na Plataforma Lattes.
Os projetos devem gerar e apropriar o conhecimento e a elevação da capacidade tecnológica nos países parceiros e objetivar a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos. Para serem selecionados, as atividades precisam priorizar áreas como: segurança alimentar, inclusão social, desenvolvimento agrícola e pecuário, saúde pública, mudanças climáticas e eventos extremos relacionados às alterações ambientais.
“O objetivo do ProÁfrica é selecionar e apoiar atividades de cooperação internacional em Ciência, Tecnologia e Inovação entre pesquisadores brasileiros e africanos que contribuam, de forma sustentada, para o desenvolvimento científico e tecnológico dos países envolvidos”, afirma a nota do CNPq.
Os projetos selecionados receberão o apoio do órgão brasileiro por, no máximo, 24 meses. As atividades devem ser desenvolvidas em parceria com grupos de pesquisa sediados nos países africanos, em especial os Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) no continente.
As inscrições podem ser feitas até o dia 22 de janeiro de 2015 por meio do Formulário de Propostas Online, que está disponível na Plataforma Carlos Chagas. Antes, é preciso ler com atenção o edital da chamada que pode ser acessado aqui.
Análise das atividades
As propostas encaminhadas serão analisadas pelo CNPq em quatro etapas. A primeira é feita pela área técnica do órgão que deve analisar se a proposta está em conformidade com as disposições estabelecidas no edital de convocação.
A  segunda etapa é a análise mais aprofundada da demanda qualificada em relação ao mérito e relevância das propostas, realizada por especialistas. A terceira será dirigida pelo Comitê de Avaliação que deve avaliar e classificar as propostas por meio de uma série de requisitos. Por último é a análise da Diretoria Executiva do CNPq, que emitirá a decisão final.
Entre 2005 e 2010 mais de US$ 5,6 milhões (R$ 9,5 milhões) foram injetados no financiamento de 190 projetos, beneficiados por cinco editais que foram lançados no período.
A lista com o resultado dos novos projetos beneficiados com os recursos financeiros está prevista para ser divulgada em maio de 2015. Os inscritos poderão checá-la no site do CNPq ou no Diário Oficial da União.
Redação brazilafrica com informações do CNPq

Nenhum comentário: