terça-feira, 4 de março de 2014

Inscrições abertas para o Prêmio Equatorial 2014

Projetos de desenvolvimento sustentável de comunidades rurais e indígenas 
podem se inscrever até o dia 22 de março.

Estão abertas as inscrições para a sétima edição do Prêmio Equatorial. A iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) reconhece projetos de soluções para o desenvolvimento sustentável, voltados para a melhoria da qualidade de vida das pessoas e para a preservação ambiental em comunidades rurais e indígenas. Podem participar da premiação projetos depaíses que recebem o apoio do PNUD, excluindo os que possuem um alto nível de desenvolvimento. 
As 25 iniciativas vencedoras, selecionadas por um Comitê Técnico do PNUD, recebem US$ 5.000 como premiação e seus representantes participam, em setembro, de um encontro durante a Assembleia Geral da ONU e a Cúpula do Clima, em Nova York. Nessa ocasião, sete projetos receberão um reconhecimento especial e mais US$ 15.000. 
Esses projetos serão selecionados por um júri composto por pessoas ilustres, que irão escolher as melhores iniciativas em sete diferentes áreas: segurança alimentar e pequenos agricultores, gestão de florestas, gestão sustentável do solo, restauração de ecossistemas, energia sustentável, redução de riscos de desastres e segurança da água. 

 “No Brasil, temos um histórico importante de participação dos projetos locais desde a primeira edição e, inclusive, um projeto apoiado pelo PNUD Brasil ficou entre os ganhadores da última premiação: a Articulação Pacari de Plantas Medicinais do Cerrado. Acredito que temos no país projetos com grandes chances de vencer esta sétima edição também”, diz Carlos Castro, coordenador da área de Desenvolvimento Sustentável e Inclusão Produtiva do PNUD Brasil. 

Brasil

Desde a criação do prêmio em 2002, o Brasil teve ao menos um ganhador em cada uma das seis edições. Ao todo foram 11 projetos brasileiros premiados. “O Brasil é o país que tem mais projetos ganhadores, sempre apresentando as soluções mais inovadoras”, reforça Joseph Corcoran, oficial de programa da Iniciativa Equatorial do PNUD, em Nova York. 
Na última premiação, que aconteceu durante a Rio+20, uma iniciativa brasileira esteve entre os vencedores, recebendo, inclusive, reconhecimento especial. A Articulação Pacari de Plantas Medicinais é formada por 47 grupos comunitários – comunidades quilombolas, grupos de mulheres e assentados da reforma agrária, entre outros – que trabalham com plantas medicinais do Cerrado nos estados de Minas Gerais, Tocantins, Maranhão e Goiás.
Dois projetos desenvolvidos pela rede são destaque: a produção de óleos vegetais de plantas do Cerrado para a elaboração de cosméticos e o livro Farmacopeia Popular do Cerrado, produzido com suporte do Programa de Pequenos Projetos Ecossociais, que conta com apoio do PNUD, e financiamento do GEF (Fundo Mundial para o Meio Ambiente, na tradução da sigla em inglês).



Sobre o Prêmio

O Prêmio Equatorial teve a sua primeira edição em 2002 e desde então é oferecido a cada dois anos para reconhecer e incentivar soluções locais de desenvolvimento sustentável. O Prêmio Equatorial tem o objetivo de dar visibilidade e chamar a atenção internacional para os esforços de comunidades rurais e grupos indígenas locais que possuem projetos de desenvolvimento e preservação do meio ambiente em regiões remotas e geralmente distantes dos principais eixos de desenvolvimento dos países. 
“Comunidades em todo o planeta estão criando soluções inspiradoras e de grande impacto para o meio ambiente, o clima e os desafios da pobreza, e nós queremos que esses esforços sejam conhecidos por todos,” disse a administradora do PNUD, Helen Clark.


Fonte: http://www.pnud.org.br/Noticia.aspx?id=3803

Nenhum comentário: