quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Sentar em 'cadeira humana' ?- Racismo,sexismo e machismo !


Por Mônica Aguiar  


Entre "Caucasianas  e Negras",  lá vamos nos de novo sendo expostas através de uma imagem que retrata todos os valores servis, opressores, sexistas e machistas  com fortes resquícios da escravidão .
Entre a brincadeira e ao bel prazer, desrespeitam todos as linhas imaginárias e legais dos direitos humanos,  utilizando  a  imagem da mulher para sustentar a condição  imposta de mercadoria e dever da submissão. 
A  imagem de nosso corpo semi-nu,  serve de deboche em um dos  três feriados nacionais dos Estados Unidos onde a  comemoração é realizada a uma pessoa. Esta  pessoa é  Martin Luther King, que tem escrito nas linhas de sua história ações de combate ao racismo e em defesa do ser humano.   
Uma " exposição" capaz de se manifestar como elemento que permite justificar e mascarar a prática racista que permanece para muitos invisível . 
Instrumento de reforço do mito da democracia racial, na "crença" existente de que as pessoas negras não enfrentam problemas no interior da sociedade com tais desqualificações de sua imagem, tendo em vista que não existem distinções  raciais e as oportunidades são iguais para todos e todas.
Dentro deste  campo denominado  produção simbólica,   influenciam e reproduzem  para o pensamento social o contraditório da referência familiar idéias e valores que são em sua maioria ancestrais, reforçando o  preconceitos e a discriminação racial. 
.... "Embora a sociedade considere o racismo e suas implicações como elementos 
periféricos da estrutura social, eles são responsáveis pela sustentação da ideologia da 
superioridade branca que produz resultados práticos"... 

Esta prática "simbólica"  se assim poder ser denominada,  condiciona não só um ser,  mas um fasto  contingente feminino a limitações, promovendo as  dificuldades quanto ao seu acesso a cargos que exigem maior qualificação ou que oferecem maiores possibilidades de ascensão na carreira profissional.

Desculpas foram pedidas . Mas a imagem já
 foi lançada . E os danos causados ?

A utilização da imagem da mulher negra enquanto prática de  interação, não pode ser  considerada ingênua, natural, desprovida de intencionalidade para fortalecimento das desigualdades e nem muito menos para privilegiar manifestações ideológicas classistas. 

Esta estrutura que mantém a desigualdade sexual existente traz prejuízos além dos econômicos, aqui citados, políticos para a figura feminina.

Podemos considerá-la como “estratégia” a partir do momento que consideremos todos os sentidos da imagem de uma mulher branca por cima da imagem de uma mulher negra com tantos debates e frentes de defesa para o combate na perpetuação do patriarcado, do sexismo e a prática do racismo, das questões de gênero, dada a importância da defesa dos direitos e da igualdade entre os seres humanos na construção de um mundo mais justo, principalmente nesta conjuntura econômica mundial.


Denominaram esta imagem de obra de arte. Que mau gosto!

Espero que as redes sociais continuem se manifestando .
Pois eu continuarei !!!




Dasha Zhukova, mulher do bilionário russo Roman Abramovich
na imagem, editora da revista Garage e fashion designer de origem russa ela aparece em uma cadeira  desenhada com formas de uma mulher afrodescendente e seminua. 




A cadeira citada por ela é uma variação da obra de arte do artista Allen Jones, em amostra no Tate Modern, em Londres. A original é semelhante a usada por Zhukova, com a diferença de que o manequim é de uma mulher caucasiana. 





Um comentário:

MARILSA CARLOS disse...

EM TEMPOS COMO ASSIM DISSER MODERNO O QUE SERÁ ANTIGO? MINHA TRADIÇÃO OU MEU MODO DE VIVER? SOU NEGRA E MINHA FAMÍLIA E TRADICIONALMENTE NEGRA O QUE DEVO FALAR A NÃO SER ME SENTIR MAL POR ISSO!!!