quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Câncer de intestino deve ser o 2º tumor mais comum nas mulheres em 2014

ESTIMATIVAS DO INCA/2014

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) divulgou na última semana, durante evento em Brasília, a estimativa de casos de câncer para 2014. Dentre as questões apontadas, destaque para o fato de o câncer colorretal (intestino grosso ou reto) ser apontado, pela primeira vez, como o segundo mais prevalente entre as mulheres, superando os casos de câncer de colo do útero e ficando atrás apenas da prevalência de câncer de mama.

Segundo especialistas, os casos de câncer de intestino estão realmente se tornando mais frequentes, a exemplo do que acontece nos Estados Unidos e esta alta incidência está associada a hábitos de vida de países industrializados como elevado consumo de carne vermelha, embutidos, além de associação com fatores de risco como sedentarismo e obesidade. "O Brasil apresenta de uns anos para cá um perfil de saúde parecido com o dos países desenvolvidos. Isso, inclusive, é acentuado em São Paulo e no Rio de Janeiro, que reúnem a maior prevalência do país, com mais de 30 casos para cada 100 mil habitantes", diz Samuel Aguiar Junior, cirurgião oncologista e diretor do Núcleo de Tumores Colorretais do A.C.Camargo Cancer Center.

Um dos caminhos para reverter este quadro é o da prevenção. A maioria dos tumores colorretais se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso, sendo que uma maneira de prevenir a doença em sua forma maligna (câncer) é pela detecção e remoção dos pólipos antes de eles se tornarem malignos. Sua alta incidência aponta para a necessidade de um rastreamento por colonoscopia, nos moldes do que ocorre com a mamografia para diagnóstico de lesões malignas na mama. A colonoscopia é indicada para homens e mulheres assintomáticos (que não apresentam sintomas) a partir dos 50 anos e com repetição a cada 5 ou 10 anos (de acordo com orientação médica). Caso haja um ou mais episódios de câncer colorretal em parentes de 1º grau a primeira colonoscopia é recomendada a partir dos 40 anos e com repetição anual. Uma outra opção para rastreamento populacional, é a pesquisa de sangue oculto nas fezes. Esse teste é menos invasivo e mais barato, porém deve ser realizado anualmente, quando o exame for negativo. Indivíduos com teste de sangue oculto positivo devem fazer colonoscopia.

576 mil novos casos em 2014 - São estimados para o próximo ano um total de 576.580 casos de câncer no Brasil, o que representa um aumento de 11% em relação à previsão nacional para 2012. 

O governo projeta que o tumor de pele do tipo não melanoma será o mais numeroso, atingindo 182 mil pessoas ou quase um terço (31,5%) dos novos casos da doença previstos para o ano que vem, entre homens e mulheres. A previsão é que 68,8 mil homens venham a desenvolver o câncer de próstata, o segundo tipo mais frequente da doença no segmento masculino. Entre a população feminina, o mesmo ocorre com o câncer de mama, que deverá acometer 57,1 mil mulheres. Sem considerar os novos casos de câncer de pele do tipo não melanoma, a previsão é que surjam 394.450 novos casos da doença em 2014, no país, dos quais 48% (190.520) entre mulheres e 52% (203.930) entre homens. A projeção de novos casos é feita pelo INCA a cada dois anos. A última foi realizada em 2011, estimando o número de novos casos anuais previstos para 2012 e 2013. Esse número era de 520 mil novos casos de câncer por ano, no biênio 2012 e 2013. 

Nenhum comentário: