sábado, 2 de novembro de 2013

Apresentado balanço da 4ª edição do Pró-equidade de Gênero e Raça no III Fórum dos Direitos Humanos

As relações raciais no ambiente de trabalho foram o tema do Fórum realizado pela empresa, em Brasília, como parte do plano de ações para o Programa Pró-equidade de Gênero e Raça.
 
O III Fórum dos Direitos Humanos e da Igualdade de Gênero e Raça discutiu aspectos das relações raciais no ambiente de trabalho. A coordenadora-geral de Autonomia Econômica das Mulheres da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-PR), Simone Schaffer, participou do evento, que aconteceu na última sexta-feira (25). Realizado pelos Correios, o evento integra o plano de ações da empresa pública para a 5ª edição do Programa Pró-equidade de Gênero e Raça.
 
Simone Schaffer participou da mesa de abertura do fórum, ao lado de Cléucio Nunes, vice-presidente Jurídico dos Correios; Giovanni Harvey, secretário-executivo da Secretaria Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR); e Patrícia Barcellos, secretária-executiva da Secretaria Direitos Humanos da Presidência da República (SDH-PR).
 
O balanço da 4ª edição do Pró-equidade de Gênero e Raça foi apresentado pela coordenadora de Autonomia Econômica das Mulheres. O Pró-equidade envolveu cerca de 900 mil trabalhadores de instituições públicas e privadas em sua 4ª edição. Deste total, 45% são mulheres e 55% são homens. Com relação à raça e etnia, entre as mulheres, 72% são brancas e 16,5% são negras. Amarelas e indígenas concentram 1,36% e 0,18% do total.
 
Ao observar a distribuição em cargos de liderança das empresas participantes do programa, as mulheres ocupam 41,01% das funções executivas; 34,6% de cargos gerenciais; 27,86% dos de supervisão; e 45,28% dos demais cargos. Segundo Simone, as organizações inseridas nas ações do Pró-equidade chegam a apresentar quase três vezes mais mulheres em cargos executivos do que empresas que ainda não aderiram ao programa. 
 
Embora se verifiquem avanços significativos, Simone afirma que “é preciso ainda superar a divisão sexual do trabalho, assim como criar equipamentos públicos, como creches e outros serviços, para as mulheres estarem liberadas a se capacitarem, de modo a garantir sua ascensão profissional”. 
 
Criado em 2005, o programa tem o objetivo de incentivar empresas a promoverem ações para reduzir a desigualdade de gênero e raça entre funcionárias e funcionários. Saiba mais sobre oPrograma Pró-equidade de Gênero e Raça
 
 
 

Nenhum comentário: